Caipira é o produto com mais tributos - Foto: reprodução
Caipira é o produto com mais tributos – Foto: reprodução

O Carnaval que é uma das festas mais tradicionais do país seria a época de maior folia para o contribuinte se não fossem os valores altos de tributos embutidos nos produtos típicos deste período. As bebidas alcoólicas que são um dos produtos mais consumidos, ficam no topo do ranking de tributos.

Quem gosta de curtir o Carnaval bebendo aquela caipira, precisa saber que do seu valor total, 76,66% é de tributos, em seguida fica o chope, com 62,20%, já pela lata ou garrafa de cerveja, o consumidor paga 55,60% e pela lata de refrigerante, o valor é 46,47% em tributos.

De acordo com o estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) ainda que, se optar por consumir o refrigerante em garrafa, o consumidor será tributado em 44,55%. Já a garrafa de água mineral tem 37,88% de tributos.

Leia também:  Exportação cai 65% em julho em Rondonópolis

As roupas e acessórios típicos da época também não escapam da elevada tributação, que chega a 43,93% na máscara de plástico, 42,71% na de lantejoulas, 42,19% no biquíni com lantejoulas, 36,41% na fantasia de tecido e 33,91% na fantasia de arame. O spray em espuma tem 45,94% de encargos tributários; o apito, 34,48%, e o confete ou serpentina, 43,83%.

Segundo o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, “a elevada tributação nos produtos típicos do Carnaval se deve ao fato de serem produtos considerados supérfluos pelo legislador”. Além disso, explica Olenike, “a maior parte dos produtos e acessórios passa por um processo de industrialização, sobre o qual incide o Imposto sobre Produto Industrializado (IPI)”.

Leia também:  Preço da carne de 1ª reduz e consumidor pode comemorar em Rondonópolis

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.