Um nocaute cinematográfico, eternizado com um chute rodado, fez com que o golpe ficasse relacionado ao nome de Edson Barboza. Em janeiro de 2012, o brasileiro nocauteou Terry Etim, no UFC Rio 2, e estimulou outros atletas a tentarem a mesma sorte.

O chute giratório sequer era treinado pelo brasileiro – até acertar em cheio o rosto do inglês. Em sua última luta, Barboza ficou próximo de conectar novamente o golpe e, em entrevista ao Combate.com, afirmou que não desistirá de despachar os adversários da forma como fez com Etim. A bola da vez é Michael Johnson, com quem faz a co-luta principal do UFC do próximo domingo, em Porto Alegre.

– Bateu na trave contra o Bobby Green, quase acertei. Foi por pouco. Tinha acertado no (Anthony) Njokuani, mas pegou com o peito do pé. Até eu acertar aquele chute eu não treinava, é um movimento que passei a treinar porque é uma arma. Apesar da pessoas poderem esperar isso de mim, posso surpreender qualquer um. Quem sabe? Com certeza, vou continuar tentando. Já faz parte do meu jogo. Mantenham a mão alta, que o chute rodado virá a qualquer momento. Uma hora pode entrar e trazer mais uma vitória – afirmou o friburguense.

Leia também:  União aposta em Ricardo para bater o Cuiabá

Barboza e Johnson treinaram juntos na Blackzilians, nos Estados Unidos, por pouco tempo – insuficiente para conhecer bem o jogo do oponente e tirar proveito. O brasileiro prevê um combate eletrizante em uma das lutas mais promissoras do card.

– Esses treinos não vão ajudar nem a mim e nem a ele. No treino, arriscamos muitas coisas e, na luta, não podemos errar. Hoje somos atletas diferentes do que fomos. Ele é um ótimo atleta, vem de grande equipe e, por isso, aceitei o duelo. Será uma guerra e quem tem a ganhar é o público. É uma ótima oportunidade, venho de duas boas lutas. Se eu vencer, vai me impulsionar. Estou dentre os seis melhores e tenho certeza que, se conseguir essa vitória, vou me aproximando do cinturão.

Leia também:  Atletas de Rondonópolis se destacam em competição nacional

Natural de Nova Friburgo e radicado nos Estados Unidos, Barboza comemora mais uma oportunidade de “viajar a trabalho” e atuar em seu país, e com a barulhenta torcida anfitriã a seu favor.

– Amo lutar no Brasil, será minha quarta luta pelo UFC aqui. É diferente. Mas quando entra no octógono é igual aqui, nos Estados Unidos ou na lua: sou eu, o oponente e o juiz. Amo o clima do brasileiro, com o pessoal empurrando os atletas na luta – disse o lutador.

O Combate transmite o “UFC: Pezão x Hunt” ao vivo neste domingo a partir de 18h40 (horário de Brasília), e o Combate.com acompanha em Tempo Real. No sábado, canal e site exibem em vídeo ao vivo a pesagem oficial, a partir de 15h45. Confira o card completo:

Leia também:  Rodada "madrasta" coloca Luve de volta ao Z-4

UFC: Pezão x Mir
22 de fevereiro, em Porto Alegre (RS)
CARD PRINCIPAL
Peso-pesado: Antônio Pezão x Frank Mir
Peso-leve: Edson Barboza x Michael Johnson
Peso-médio: Cezar Mutante x Sam Alvey
Peso-leve: Adriano Martins x Rustam Khabilov
Peso-galo: Iuri Marajó x Frankie Saenz
Peso-meio-médio: Santiago Ponzinibbio x Sean Strickland
CARD PRELIMINAR
Peso-galo: Jéssica Andrade x Marion Reneau
Peso-meio-médio: William Patolino x Matt Dwyer
Peso-pena: Tiago Trator x Mike de la Torre
Peso-meio-médio: Wendel Negão x TJ Waldburger
Peso-galo: Douglas D’Silva x Cody Gibson
Peso-leve: Ivan Batman x Josh Shockley

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.