Sete dos 28 detentos que fugiram na madrugada desta quinta-feira (5) da Cadeia Pública de Nova Mutum foram localizados e recapturados na tarde de ontem pela polícia. As informações são da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que também desmentiu os boatos que circulavam nas redes sociais que os fugitivos tivessem cometidos novos crimes.

As buscas realizadas pela Polícia Militar em Nova Mutum e nas regiões próximas a cidade começaram na manhã desta quinta-feira (5) e contam com o apoio de helicópteros. Segundo a nota da Sejudh, devido a fuga também foi reforçada a segurança de todas as unidades do sistema prisional de Mato Grosso.

Os fugitivos da Cadeia Pública de Nova Mutum, respondem a crimes como formação de quadrilha, homicídio, tráfico de drogas, assalto a mão armada, entre outros.

Leia também:  Servidores são investigados por adulteração no sistema de monitoramento eletrônico

Dois dos oito recapturados resolveram se entregar à polícia, já os demais foram encontrados em diversos pontos da cidade, sendo que um deles estava em porte de uma espingarda calibre 12 na BR-163.

Novo Diretor

Na tarde de ontem, a Sejudh apresentou o nome do novo diretor da Cadeia Pública de Nova Mutum, Antônio Pereira Lima. Ele é servidor de carreira e atua há 11 anos no sistema penitenciária de Mato Grosso. Graduado em Administração pela Universidade Federal de Mato grosso (UFMT), tem em seu currículo curso de Operações Especiais Penitenciários.

O diretor e os dois agentes penitenciários que estavam de plantão durante a madrugada responderão por facilitação qualificada de fuga, sob sua custódia, e peculato culposo pela subtração de armamento da cadeia. Os três foram transferidos para a Cadeia Pública de Santo Antônio do Leverger, unidade que recebe servidores acusados de irregularidades.

Leia também:  Delegada explica a prisão do pastor foragido

A fuga

A Polícia Civil segue com as investigações, mas já concluiu que a fuga teria sido proporcionada por duas mulheres que conseguiram dopar dois agentes prisionais.

A delegada Angelina de Andrade Ferreira Ticianel, declarou que os três servidores da Sejudh-MT lotados naquela unidade teriam sido negligentes quanto a guarda dos recuperandos. “Duas mulheres, uma delas namorada do suposto autor do plano, identificado como Bruno Ojeda Amorim, foram até a cadeia com bebidas alcoólicas, e lá conseguiram, de uma forma que não foi esclarecida ainda, fazer com que eles bebessem o líquido; após serem dopados conseguiram abrir a grade central de acesso as celas internas”, informou a delegada.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.