20 de setembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Sete dos 21 fugitivos da Cadeia Pública de Nova Mutum são recapturados...
    FUGA

    Sete dos 21 fugitivos da Cadeia Pública de Nova Mutum são recapturados pela polícia

    A fuga teria sido proporcionada por duas mulheres que conseguiram dopar dois agentes prisionais.

    Sete dos 28 detentos que fugiram na madrugada desta quinta-feira (5) da Cadeia Pública de Nova Mutum foram localizados e recapturados na tarde de ontem pela polícia. As informações são da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que também desmentiu os boatos que circulavam nas redes sociais que os fugitivos tivessem cometidos novos crimes.

    As buscas realizadas pela Polícia Militar em Nova Mutum e nas regiões próximas a cidade começaram na manhã desta quinta-feira (5) e contam com o apoio de helicópteros. Segundo a nota da Sejudh, devido a fuga também foi reforçada a segurança de todas as unidades do sistema prisional de Mato Grosso.

    Os fugitivos da Cadeia Pública de Nova Mutum, respondem a crimes como formação de quadrilha, homicídio, tráfico de drogas, assalto a mão armada, entre outros.

    Dois dos oito recapturados resolveram se entregar à polícia, já os demais foram encontrados em diversos pontos da cidade, sendo que um deles estava em porte de uma espingarda calibre 12 na BR-163.

    Novo Diretor

    Na tarde de ontem, a Sejudh apresentou o nome do novo diretor da Cadeia Pública de Nova Mutum, Antônio Pereira Lima. Ele é servidor de carreira e atua há 11 anos no sistema penitenciária de Mato Grosso. Graduado em Administração pela Universidade Federal de Mato grosso (UFMT), tem em seu currículo curso de Operações Especiais Penitenciários.

    O diretor e os dois agentes penitenciários que estavam de plantão durante a madrugada responderão por facilitação qualificada de fuga, sob sua custódia, e peculato culposo pela subtração de armamento da cadeia. Os três foram transferidos para a Cadeia Pública de Santo Antônio do Leverger, unidade que recebe servidores acusados de irregularidades.

    A fuga

    A Polícia Civil segue com as investigações, mas já concluiu que a fuga teria sido proporcionada por duas mulheres que conseguiram dopar dois agentes prisionais.

    A delegada Angelina de Andrade Ferreira Ticianel, declarou que os três servidores da Sejudh-MT lotados naquela unidade teriam sido negligentes quanto a guarda dos recuperandos. “Duas mulheres, uma delas namorada do suposto autor do plano, identificado como Bruno Ojeda Amorim, foram até a cadeia com bebidas alcoólicas, e lá conseguiram, de uma forma que não foi esclarecida ainda, fazer com que eles bebessem o líquido; após serem dopados conseguiram abrir a grade central de acesso as celas internas”, informou a delegada.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS