O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 já tem uma ideia para resolver o problema de falta de locais para acomodação no Rio de Janeiro para a Olimpíada. O órgão estuda uma parceira com sites de aluguel de quartos em residências para, enfim, disponibilizar  o número de leitos necessários para os visitantes que virão para os Jogos de 2016.

Na quarta-feira, a presidente da Comissão de Coordenação do COI (Comitê Olímpico Internacional) para a Olimpíada de 2016, Nawal El Motawakel, afirmou em entrevista coletiva que a falta de acomodação ainda é uma questão a ser resolvida para a boa realização dos Jogos no Rio. El Motawakel falou com jornalistas após três dias de inspeções e reuniões sobre os preparativos da capital fluminense para o evento esportivo.

Leia também:  Times de Mato Grosso vão mal na rodada de final de semana

Na mesma entrevista, o presidente do Comitê Organizador Rio-2016, Carlos Nuzman, admitiu que o Rio ainda precisa disponibilizar 4 mil leitos em hotéis para cumprir o combinado com o COI. A promessa é que 40 mil leitos estejam à disposição de visitantes durante os Jogos. Hoje, a previsão oficial aponta que só 36 mil estarão aptos a receber turistas, autoridades e patrocinadores.

O próprio Nuzman adiantou que o Comitê Rio-2016 negocia uma parceira para disponibilizar mais 18 mil vagas de hospedagem na cidade. Nuzman não quis dar detalhes sobre o assunto pois, segundo ele, isso passa por acordos de patrocínio. “Vamos anunciar detalhes desse acordo assim que pudermos”, desconversou.

O secretário de municipal de Turismo do Rio, Antonio Pedro Viegas de Mello, no entanto, antecipou qual deve ser a solução para a falta de acomodação. Ele, que também participa de reuniões com membros do COI sobre o assunto, afirmou que sites de aluguel de quartos em domicílios particulares devem resolver o problema para os Jogos.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

“Hoje, existem sites grandes que podem servir para isso”, disse. “O Comitê Rio-2016 está estudando como fazer uma parceria com eles. Hoje, muita gente se hospeda em casas de família. No Carnaval mesmo, muitos turistas optaram por isso.”

O secretário disse ainda que só um empecilho barra o fechamento dessa parceria. Segundo ele, o site que firmar acordo com o Comitê Rio-2016 terá que garantir uma quantidade mínima de quartos disponíveis durante os Jogos. Ainda não se sabe como fazer isso até porque os sites só intermedeiam os negócios entre hóspede e o dono do quarto. Não têm o controle total sobre a disponibilidade.

“Eles vão resolver”, complementou o secretário, otimista. “Para qualquer empresa, estampar o símbolo da Olimpíada junto com sua marca é um bom negócio.”

Leia também:  Brasil joga primeira partida do Grand Prix em Cuiabá
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.