Mais uma vez, em menos de um ano, o prefeito de Barra do Graças, Roberto Farias (PSD), corre o risco de perder o posto mais uma vez por improbidade administrativa, além de ter o patrimônio de R$4,9 milhões bloqueados. Em julho do ano passado ele chegou a ser cassado, mas conseguiu retornar ao Paço.

A ação civil pública foi protocolada no dia 13 pelo Ministério Público Estadual (MPE), mas ainda não foi analisada. Desta vez a suspeita é a autorização de comercialização irregular de 102 terrenos do município para empresas privadas.

Também é exigido o afastamento do chefe de gabinete, Agenor Bezerra Maia e dos secretários Izaias Mariano Santos Filho (Planejamento), Viviane Sales Carvalho (Finanças), e do procurador geral do município, Emerson Ferreira Coelho Souza.

Leia também:  Carlos Brito assume Casa Civil
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.