Ronda Rousey está orgulhosa do desenvolvimento do MMA feminino ao longo dos últimos anos, principalmente desde que chegou ao Ultimate. Nesta quinta-feira, durante conversa com os jornalistas no “Media Day do UFC 184”, em Los Angeles, a campeã peso-galo disse que ficou muito satisfeita ao se dar conta de que as mulheres foram as responsáveis por salvar o evento, que perdeu o duelo entre Chris Weidman e Vitor Belfort  no mês passado, devido a uma lesão do americano.

– Eu nem tinha percebido que as garotas salvaram o UFC 184. Eles perderam a luta do Ronaldo Jacaré e a luta do Chris Weidman contra o Vitor Belfort. Se não fosse pelas meninas, aconteceria o mesmo que aconteceu com o UFC 151 e eles teriam que cancelar tudo. Estou tão feliz que o MMA feminino se desenvolveu tanto que, hoje, nós podemos, não apenas salvar um card, mas criar um evento completamente novo, que está sendo tão valorizado pelos fãs.

Protagonista da luta principal do UFC 184, ao lado de Cat Zingano, Ronda sabe que terá um difícil teste pela frente. A ex-judoca, no entanto, acredita que o nível técnico de sua adversária vai permitir que ela possa mostrar todas as suas armas no octógono, o que ela afirma que ainda não teve a possibilidade de fazer.

Leia também:  Cuiabá Arsenal faz vaquinha para viajar à semifinal no Nordeste

– Estou muito empolgada para essa luta! A Cat Zingano é uma as oponentes mais qualificadas que eu já tive na vida. Ela não só está invicta, como é a lutadora mais completa que já enfrentei, tem experiência em wrestling, jiu-jítsu e muay thai. Eu sempre procurei por uma parceria de dança de verdade, alguém que me permitisse mostrar tudo aquilo do que sou capaz. E eu realmente acredito que vou poder fazer isso contra a Cat Zingano.

Oriunda do judô, Ronda foi a primeira atleta feminina dos EUA a levar uma medalha olímpica na modalidade. No entanto, desde que fez a transição para o MMA e, especialmente em suas últimas lutas, a loira tem apresentado uma grande evolução também no seu jogo em pé.

– Eu realmente pensei que eu poderia usar mais o meu judô se eu pudesse melhorar a minha trocação. Isso me faz lembrar que, quando eu estava no judô, eu era conhecida como “a garota da chave de braço”, porque a minha mãe era “a garota da chave de braço” original. Quando comecei a lutar no nível sênior, eu pegava todo mundo na chave de braço, e as pessoas começaram a se proteger tanto do golpe, que eu comecei a derrubá-las de outras formas. Elas estavam tão preocupadas com seus braços, que deixavam as suas mãos desprotegidas. E aí eu passei a ser conhecida como “a garota boa de chão em geral”, e as pessoas ficavam tão preocupadas em não lutar comigo no chão, que era muito mais fácil de quedá-las. Então, para que ficasse mais fácil implementar o meu judô no MMA, eu sabia que, se as pessoas passassem a se preocupar mais com a minha trocação, isso abriria mais oportunidades para utilizar minhas armas no solo. Eu faço isso pelos dois motivos: afio a trocação para poder lutar no chão, que é a minha especialidade.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF

E por falar em Olimpíadas, a americana, que tem um grande carinho pelo Brasil, garantiu que quer acompanhar de perto o evento de 2016:

– Eu quero muito ir para as Olimpíadas do Rio. Quero muito ver as lutas de judô no Brasil. Nunca consegui ir para uma Olimpíada apenas como espectadora. Nos últimos Jogos Olímpicos, enfrentei a Sarah Kaufman no dia da solenidade de encerramento, então era impossível tentar assistir. Mas eu vou para o Rio, principalmente depois que eu soube que as Olimpíadas seriam lá. O Rio é uma das minhas cidades favoritas no mundo!

Conhecida por conciliar a carreira de lutadora com a de atriz, “Rowdy” também revelou alguns de seus passatempos favoritos, quando está de folga:

Leia também:  Torneios esportivos devem movimentar o fim de semana em Rondonópolis

– Eu gosto de andar de skate de manhã e de ir para eventos independentes de luta olímpica, como o PWG (Pro Westling Puerilla). É engraçado, porque é isso que eu faço geralmente quando saio com as minhas amigas, vou para um evento de wrestling (risos). Mas, de uma forma geral, sou muito caseira. Eu trabalho e treino tanto que amo sentar no sofá e ler ou jogar algum jogo. Sou tão ativa na minha vida que não gosto de me mexer muito quando estou de folga – finalizou.

Com Ronda Rousey x Cat Zingano a luta principal, o Canal Combate transmite o UFC 184 neste sábado, a partir das 21h, com a primeira luta ao vivo, também no Combate.com.

Confira o card completo:

UFC 184
28 de fevereiro, em Los Angeles (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-galo: Ronda Rousey x Cat Zingano
Peso-galo: Holly Holm x Raquel Pennington
Peso-meio-médio: Josh Koscheck x Jake Ellenberger
Peso-médio: Alan Jouban x Richard Walsh
Peso-leve: Tony Ferguson x Gleison Tibau
CARD PRELIMINAR
Peso-médio: Mark Muñoz x Roan Jucão
Peso-galo: Kid Yamamoto x Roman Salazar
Peso-meio-médio: Dhiego Lima x Tim Means
Peso-pesado: Derrick Lewis x Ruan Potts
Peso-leve: James Krause x Valmir Lázaro
Peso-pena: Masio Fullen x Alexander Torres
Peso-leve: Jake Lindsey x Joseph Duffy

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.