Foto: assessoria
Foto: assessoria

O deputado federal Adilton Sachetti (PSB-MT) foi empossado, este domingo (01/02), para o mandato na 55ª legislatura (2015-2019) da Câmara dos Deputados. Representante do setor do agronegócio, o mais importante de Mato Grosso, Sachetti foi o segundo deputado mais votado no estado na última eleição, com 112.722 votos.

“Meu objetivo é para trabalhar por Mato Grosso”, afirma o parlamentar. “Não sou deputado. Estou deputado. Sou agricultor e tenho o agronegócio no sangue. Na Câmara, represento este setor, mas o meu intuito é fortalecer a economia de todo o estado”.

Sachetti destaca que também estará atento às demandas municipalistas, além da necessidade de reformas política e fiscal. “O estado coloca hoje um peso muito grande nas costas do cidadão, por exemplo, por meio de impostos abusivos. Vou trabalhar para desburocratizar as leis, para que o estado se torne mais provedor e menos tutelador”.

Leia também:  Cartórios poderão ser obrigados a publicar informações

Na cerimônia de posse, o deputado esteve acompanhado da esposa, Rose, de Eduardo, um dos filhos, e de dois irmãos, Paulo e Tarcisio. Integrante do 6º maior partido da Câmara, o PSB, com 34 parlamentares, Sachetti tem interesse em atuar nas comissões de Agricultura e de Minas e Energia. A composição das comissões, contudo, só deve ser definida no mês que vem.

Formado em Arquitetura, Sachetti foi prefeito de Rondonópolis – cidade a cerca de 220 Km de Cuiabá – entre 2005 e 2008. Também comandou a extinta Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa (Agecopa, depois renomeada para Secopa), em Mato Grosso, e foi um dos responsáveis pela fundação das principais entidades ligadas ao agronegócio no estado.

Leia também:  Vereador requer que problemas de falta de água em bairros sejam resolvidos

Ao todo, foram empossados 510 deputados este domingo – três não estiveram presentes para firmar o compromisso. Por Mato Grosso, além de Sachetti, outros sete deputados tomaram posse: Fábio Garcia (PSB), Carlos Bezerra (PMDB), Ezequiel Fonseca (PP), Nilson Leitão (PSDB), Ságuas Moraes (PT), Valtenir Pereira (Pros) e Victório Galli (PSC).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.