O setor de serviços fechou o ano passado com crescimento nominal acumulado de 6%, a menor taxa para o indicador desde o início da série histórica, em 2012. Entre os cinco grupos de atividade, apenas os serviços de informação e comunicação registraram queda no ano: menos 1,2%. Crescimento nominal é a expansão que não leva em conta a inflação ocorrida no período pesquisado. Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada hoje (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a pesquisa, em dezembro de 2014, o setor de serviços do país teve crescimento nominal de 4,2%, em relação a igual mês do ano anterior, superando os 3,7% do crescimento nominal do setor em novembro, mas ficando abaixo do resultado de outubro, quando a expansão nominal chegou a 5,2%.

Leia também:  Mudança na reforma da Previdência reduzirá em 40% economia estimada pelo governo

No resultado acumulado do ano, quatro de cinco atividades pesquisados que registraram crescimento nominal foram as seguintes: serviços prestados às famílias, crescimento acumulado de 8,9%; serviços profissionais, administrativos e complementares (10,9%); transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (4,8%) e outros serviços (3,2%).

Segundo o IBGE, em 2014, o setor de serviços foi marcado por uma forte desaceleração: a taxa acumulada de 6% de crescimento nominal em relação a 2013 foi menor do que os 8,5% de expansão na taxa acumulada de 2013 em relação a 2012.

No ano passado, a maior taxa de crescimento acumulado foi observada no segmento de serviços prestados às famílias, 9,2%, em comparação aos 10,2%, de 2013. No segmento, os serviços de alojamento e alimentação cresceram 9,5%. Em 2013, a alta foi 10,6%. Outros serviços prestados às famílias aumentaram 7,1% – abaixo dos 7,2% registrados em 2013.

Leia também:  Receita abre consulta ao 6º lote de restituição nesta quarta-feira

Os serviços profissionais, administrativos e complementares apresentaram uma taxa anual de crescimento de 8,5%, comparada a 8,1% em 2013; os serviços técnico-profissionais cresceram 6,5% – mais dos que os 4,6% de 2013 – e os serviços administrativos e complementares, 9,3%. Em 2013, o percentual teve alta de 9,5%.

Já o segmento de outros serviços acumulou crescimento de 6,8%, em comparação a 5,9% em 2013; e os transportes, serviços auxiliares dos transportes e Correios, 6,4%. Em 2013, a alta chegou a 10,8%.

Em 2014, os serviços de informação e comunicação apresentaram a menor taxa de crescimento acumulado (3,4%), pouco menos da metade da taxa registrada em 2013 (6,9%). O crescimento dos serviços de tecnologia da informação e comunicação ficou em 2,9%, em comparação aos 7%, de 2013.

Leia também:  Sine oferta 674 vagas de emprego em Mato Grosso
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.