Através do trabalho conjunto entre Ministério Público Estadual e Poder Judiciário, reeducandos e presos provisórios da Cadeia Pública de Alto Garças receberam nesta quinta-feira (12.03), duas salas climatizadas que vão possibilitar aulas de alfabetização, música e informática.

A iniciativa integra a proposta do projeto “Recuperando para a Vida” que busca desenvolver atividades com foco na recuperação dos detentos para que consigam, de fato, serem reinseridos na sociedade.

Nos espaços também serão colocadas máquinas de costura, cedidas pelo município, para a confecção de camisetas para estudantes da rede pública. Os recursos para a realização das obras, bem como, aquisição de equipamentos, foram possíveis mediante transações penais.

A destinação dos valores é feita pelo Conselho da Comunidade.

Leia também:  Com 63 vagas para professores UFMT abre inscrição nesta segunda (23)

Durante a solenidade de inauguração, o promotor de Justiça Márcio Florestan Berestinas destacou a importância do projeto na ressocialização dos presos provisórios e recuperandos, e agradeceu aos envolvidos. “Alto Garças passa a ter um projeto da mesma envergadura do existente na Cadeia Pública de Alto Araguaia, o “Projeto Educando para Recuperar”, que já está sendo executado há mais de quatro anos naquela unidade prisional.

Agradeço a diretora da Cadeia Pública de Alto Garças, o juiz Pedro Davi Benetti e o defensor público e presidente do Conselho da Comunidade, Rubens Vera Fuzaro Júnior, pela importante contribuição na concretização do projeto”, destacou Berestinas.

O magistrado Pedro Davi Benetti salientou que “com a edificação dessa salas, possibilita-se aos recuperandos o trabalho e o estudo, que são formas de remissão da pena e uma forma de buscar a reinserção dos apenados”.

Leia também:  Rondonópolis será sede da 11ª edição da Caravana da Transformação

ALTO ARAGUAIA: Em 2014, os presos que participam do projeto “Educando para Ressocializar”, no município de Alto Araguaia, produziram cinco mil camisetas, mil bermudas, cinco mil estampas de uniformes, 180 lençóis, 50 capas de colchões e 200 edredons. O material foi distribuído aos alunos da rede pública de ensino e ao Hospital Municipal local.

A qualidade, o acabamento e o capricho na produção dos lençóis e camisetas chamam a atenção.

Além das confecções, o projeto também contempla aulas de música, informática, alfabetização e de incentivo à leitura. Também foi disponibilizado aos reeducandos que participam do projeto uma máquina de produção de tijolos ecológicos e bloquetes para calçadas. Inicialmente, serão produzidos aproximadamente 3.500 tijolos por dia. O equipamento foi adquirido com recursos oriundos do Conselho da Comunidade.

Leia também:  Operação nacional PC 27 cumpre mandados de prisão e busca e apreensão em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.