Nocautear é algo que faz parte da rotina de Amanda Nunes em sua carreira no MMA. Das 10 vitórias na carreira, nove foram desta forma, incluindo a deste sábado, sobre Shayna Baszler, no UFC: Maia x LaFlare. Depois do triunfo, ela atendeu os jornalistas na sala de imprensa do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, e pediu por uma revanche contra sua última algoz, Cat Zingano. Na opinião dela, caso enfrente uma top 5 da divisão dos galos (até 61kg), ela pode disputar o título logo depois.

– Perdi em Las Vegas minha última luta contra a Cat Zingano e prometi ao Dana: “Vou voltar para a academia, vou me encontrar e voltar para ser campeã do maior evento do mundo. Eu prometo isso a você e vou provar”. Hoje perguntei se ele lembrava. Hoje começou a primeira etapa até o cinturão. Tenho que lutar contra mais uma do top 5 e aí depois com certeza o cinturão. Queria fazer revanche com Cat e, com essa vitória, acho que podem botar essa revanche em Vegas – afirmou.

Leia também:  União tem desafio diante do Luverdense em Lucas

Depois de bater Baszler, as duas lutadoras conversaram no octógono, e Amanda explicou que tinha uma rixa antiga com a rival, mas que foi resolvida após o confronto.

– É coisa passada, quando eu lutava no Invicta. Nós sempre nos batíamos lá fora. Uma vez perdi uma luta no mesmo evento que ela, estava muito triste e ela ficou esperando a minha passagem. E meio que deu risada, como se estivesse tirando onda comigo. Eu pensei: “Em outra ocasião eu converso com ela, pois isso não pode existir”. Hoje foi o dia. Conversei com ela e hoje ela pagou. Tudo bem, morreu, vamos sair e tomar uma água, um suco. E ela falou que me admira muito, que gostava muito de mim. Está tudo certo agora – garantiu.

Leia também:  Mixto, Dom Bosco e Cacerense viram adversários diretos do União na Copa Federação

A lutadora ainda admitiu ter dado alguns socos depois da interrupção do árbitro Mário Yamasaki, mas pediu desculpas e prometeu que isso não vai se repetir.

– Fiquei tão fora de mim nos últimos momentos da luta que bati mais do que era para bater. Ele (Yamasaki) falou para não fazer  mais isso pois poderia ser desclassificada. Eu pedi desculpas e disse que não vai se repetir mais – concluiu.

Confira os resultados das demais lutas do evento:

CARD PRINCIPAL
Demian Maia venceu Ryan LaFlare por decisão unânime (triplo 48-46)
Erick Silva venceu Josh Koscheck por finalização aos 4m21s do R1
Léo Santos venceu Tony Martin por finalização aos 2m29s do R2
Gilbert Durinho venceu Alex Cowboy por finalização aos 4m14s do R3
Godofredo Pepey venceu Andre Fili por finalização aos 3m14s do R1
CARD PRELIMINAR
Francisco Massaranduba venceu Akbarh Arreola por decisão unânime (triplo 30-27)
Kevin Souza venceu Katsumi Kikuno por nocaute a 1m31s do R1
Leandro Buscapé venceu Drew Dober por finalização aos 2m45s do R2
Leonardo Macarrão venceu Cain Carrizosa por decisão unânime (30-26, 30-27 e 30-27)
Christos Giagos venceu Jorge Blade por finalização aos 3m12s do R1
Fredy Serrano venceu Bentley Syler por nocaute em 1m34s do R3

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.