Em uma luta com resultado polêmico, o peso-leve Leandro Buscapé finalizou o americano Drew Dober aos 2m45s do segundo round com uma guilhotina que aparentemente não fez o seu adversário bater ou perder os sentidos. O árbitro Eduardo Herdy julgou que Dober teria “apagado” e encerrou a luta para desespero do americano, que reclamou muito. Até mesmo o público demorou para entender o que havia acontecido, e evitou aplaudir o resultado do combate.

– Primeiro gostaria de agradecer o Rio de Janeiro por me receber tão bem. Vocês têm uma grande história no jiu-jítsu e sabem que eu não bati. Eu consigo resistir a uma guilhotina na meia-guarda. Eu não bati e todos viram isso. Só peço uma revanche. Se me chamarem, eu volto ao Rio de Janeiro – disse Dober após a luta.

Já Buscapé preferiu eximir-se de culpa pelo ocorrido.

– A minha guilhotina estava encaixada, e percebi que ele estava com a cabeça um pouco para o lado, e achei que tinha apagado. Não conseguia ver se ele estava apagado ou não, mas quem manda na luta é o juiz. Eu sou apenas um lutador, e estava ali fazendo o meu trabalho. Se ele decidiu, está decidido – disse.

A luta começou com Dober buscando os chutes baixos, e Buscapé acertou um bom contra-ataque de direita, fazendo o americano perder o equilíbrio. O brasileiro buscou a queda em seguida, mas Dober defendeu-se bem, levando a luta novamente para o centro do octógono. O americano buscava encurralar Buscapé na grade, e conseguiu aplicar alguns golpes, mas a esquiva do brasileiro estava perfeita, e a maioria dos socos passou no vazio. Com a estratégia claramente voltada para o contra-ataque, Buscapé aguardava as ações de Dober, que dominava a luta e tomava toda a iniciativa da luta.

Leia também:  Público reage e evita prejuízo para o União

No segundo round, após sofrer alguns golpes, Buscapé tentou levar a luta para o chão duas vezes, e na segunda conseguiu finalmente deixar Drew Dober com as costas no chão. Com habilidade, o brasileiro primeiro buscou as costas e depois encaixou uma guilhotina. Dober parecia tranquilo no golpe, mas o árbitro Eduardo Herdy decidiu segurar o braço do americano após Buscapé tê-lo alertado que ele havia e, achando que o lutador havia perdido os sentidos, decretou o fim da luta, para desespero de Dober, que em nenhum momento “apagou” ou sequer fez menção de desistir do combate. A decisão do árbitro revoltou Drew Dober, que reclamou muito da decisão.

Após a luta, em depoimento ao Combate.com, o chairman da CABMMA, Rafael Favetti, informou que cabe recurso da equipe do Dober, e que ele tem um prazo de cerca de 15 dias para solicitá-lo. Favetti também afirmou que a decisão do árbitro deve ser discutida na reunião da comissão pós-evento.

Kevin Souza nocauteia japonês com apenas um golpe

Bastou um golpe. Kevin Souza não teve trabalho para liquidar Katusnori Kikuno, em combate válido pelo peso-pena (até 66 kg). O brasileiro venceu pela 10ª vez seguida na carreira (a terceira pelo Ultimate) ao nocautear o japonês com apenas 1m31s de luta. Depois de começar dominando o centro do octógono, Kevin acertou um direto de direita, que levou o rival à lona. Ele ainda conectou mais um soco com o adversário caído, antes da interrupção do árbitro. Agora o lutador tem 16 vitórias e três derrotas no cartel, enquanto Kikuno perdeu pela sétima vez, a segunda no UFC, ficando com retrospecto na carreira de 22 triunfos, sete derrotas e dois empates.

Leia também:  2ª Noitada de Boxe Olímpico acontece em Rondonópolis

– Estou emocionado. Eu acabei estudando muito o Kikuno, é um grande atleta e um dos caras que admirava na minha infância. Estou feliz pelo nocaute no UFC. Rio de Janeiro, muito obrigado – afirmou Kevin, após sua vitória

Massaranduba vence Akbarh Arreola em luta morna

em uma luta morna e sem muita emoção, o popular peso-leve Francisco Massaranduba venceu o mexicano Akbarh Arreola por decisão unânime dos juízes (triplo 30-27). esta foi a quinta vitória do brasileiro em oito lutas no UFC, e a 16ª em 20 combates como profissional. Já Arreola sofreu a segunda derrota em três duelos no UFC.

Massaranduba começou a luta imprensando Arreola na grade. Mais baixo o brasileiro buscava a luta na curta distância, e na primeira chance que teve, levantou o mexicano e cravou-o no chão, ficando por cima, na guarda. O brasileiro mantinha Arreola sob domínio no solo, evitando as tentativas de fugida de quadril e aplicando algumas cotoveladas no rosto do rival até o intervalo.

Leia também:  União começa neste domingo sonho de voltar à Copa do Brasil

No segundo round, mesmo orientado a usar mais a luta em pé, Massaranduba mais uma vez derrubou Arreola, ainda que após trocar alguns golpes com o mexicano. Novamente na guarda do adversário, o brasileiro mantinha o domínio da luta, que era pouco empolgante e arrancava algumas vaias do público. No fim do round, o mexicano recebeu um duro golpe no chão, mas resistiu até o fim.

No terceiro e último round Massaranduba partiu para a luta totalmente em pé, e mesmo à distância, conseguiu manter o domínio sobre Arreola. A um minuto do fim, muito cansado, o brasileiro levou a luta para o chão e manteve o adversário sob domínio até o fim do combate.

Confira os resultados das demais lutas do evento:

CARD PRINCIPAL
Demian Maia venceu Ryan LaFlare por decisão unânime (triplo 48-46)
Léo Santos venceu Tony Martin por finalização aos 2m29s do R2
Amanda Nunes venceu Shayna Baszler por nocaute técnico a 1m56s do R1
Gilbert Durinho venceu Alex Cowboy por finalização aos 4m14s do R3
Godofredo Pepey venceu Andre Fili por finalização aos 3m14s do R1
CARD PRELIMINAR
Francisco Massaranduba venceu Akbarh Arreola por decisão unânime (triplo 30-27)
Kevin Souza venceu Katsumi Kikuno por nocaute a 1m31s do R1
Leonardo Macarrão venceu Cain Carrizosa por decisão unânime (30-26, 30-27 e 30-27)
Christos Giagos venceu Jorge Blade por finalização aos 3m12s do R1
Fredy Serrano venceu Bentley Syler por nocaute em 1m34s do R3

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.