Valia muito mais do que defender a invencibilidade de 26 jogos. Era a chance de chegar a uma final da Liga de Desenvolvimento. Uma final inédita. Em casa. Com o apoio da torcida. E o Basquete Cearense seguiu o roteiro. Sob a batuta de Davi Rossetto, com a raça de Victor Gusmão, a equipe do técnico Espiga sofreu até os últimos minutos para vencer o Pinheiros por 59 a 52, nesta segunda-feira (9), no ginásio Paulo Sarasate, na Capital cearense. Com propriedade, os comandados do técnico Espiga passaram pelo time paulista, chegaram ao 27° jogo seguido sem derrota e estão na final da LDB. O próximo desafio: o atual campeão Flamengo.

O jogo começou mais cadenciado que o normal. A marcação cerrada impediu que algum time deslanchasse. Mas os cearenses fizeram valer a torcida, que jogou junto ao time e ajudou a construir o placar. Com 18 pontos, Victor Gusmão foi o cestinha da partida. Davi Rossetto contribuiu com 13 pontos e dez rebotes. No Pinheiros, Georginho bem tentou a reação no último quarto. O jogou somou 17 pontos e nove rebotes.

Leia também:  Cuiabá vence Luverdense e se classifica para semifinal no sub-17

O Pinheiros agora encara o Limeira, nesta terça-feira (10), na disputa do terceiro lugar, às 16 horas. Na sequência, o Basquete Cearense disputa o título da LDB contra o Flamengo, às 19h30. Os dois jogos ocorrem no ginásio Paulo Sarasate.

Duelo parelho

A marcação começou forte para os dois lados. Com um time mais alto, o Pinheiros foi soberano nos rebotes, mas o Basquete Cearense corria muito para marcar e compensar a diferença de altura. Mas os paulistas tinham um Lucas inspirado. O camisa 22 da equipe de azul anotou oito pontos e deu uma pequena vantagem para os visitantes ao fim do primeiro período (11 a 10).

O segundo período foi melhor para os donos da casa. Com a torcida a favor, o Basquete Cearense rodou melhor a bola e, mesmo com aproveitamento menor (24% de acertos, contra 27% do Pinheiros), foi com vantagem para o intervalo. O time do técnico Espiga cresceu após um ótimo toco de Alexandre Paranhos, que levou a arquibancada ao delírio (23 a 20).

Leia também:  Dourado sobe duas posições e chega ao 50º lugar no ranking Nacional

Pinheiros reage…

O Basquete Cearense voltou com tudo do intervalo. A equipe do técnico Espiga fez oito pontos em sequência, ganhou folga e ânimo da torcida após cravada brutal de Erick Camilo. A quadra, entretanto, escorregadia desde o primeiro jogo das semifinais, deu prejuízo aos cearenses. Victor Gusmão escorregou e sentiu a virilha, preocupando o time e sendo substituído. O camisa 55 do Basquete Cearense até voltou a quadra, mas não demonstrava estar 100%. O Pinheiros se aproveitou disso e reagiu, mas uma bola de três de Davi Rossetto esfriou o time paulista (38 a 32).

Se o Basquete Cearense havia acertado apenas uma cesta de três no jogo inteiro, o último quarto começou bem nos tiros de longe. Victor Gusmão (duas vezes) e Lucas calibraram o arremesso e aumentaram a vantagem dos donos da casa (47 a 34). Mas o Pinheiros ainda estava vivo. Georginho e Humberto comandaram o time no ataque e zeraram a diferença (49 a 49).

Leia também:  Cuiabá apresenta elenco visando temporada 2018

… Mas dá Basquete Cearense

Foi aí que o sexto jogador entrou em quadra de vez. Na cesta de três de Erick Camilo, o público levantou. Georginho teve dois lances-livres, mas só converteu um. Na bola espirrada, Taddei, caído no chão, pegou o rebote. O experiente Davi acumulou faltas sofridas, mas desperdiçou lances-livres quando não podia. Mesmo assim, os cearenses sorriram ao final após Taddei converter mais dois lances. Vitória e vaga garantida na decisão da LDB (59 a 52).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.