Os diretores da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja) não esperavam por esta.

O governador Pedro Taques (PDT), destinou R$ 6 milhões do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab) para o Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

A decisão do governador parece que atendeu as orações de dezenas de prefeitos do estado que não haviam gostado nada, nada, da decisão da Aprosoja em entrar com uma ação na justiça impedindo que 50% do valor arrecadado com o fundo fosse entregue as Prefeituras.

Os poderosos agricultores querem que o dinheiro seja utilizado prioritariamente na recuperação de estradas. Ao que parece o velho jargão popular pode ser muito bem aplicado ao fato, “O feitiço virou contra o feiticeiro”.

Leia também:  Sicredi pode ter a conta da Prefeitura

Com sentimento de terem sido traídos pelo governador, a direção da Aprosoja cobrou duramente em nota a decisão de Taques, “Dificuldades de caixa e restrições orçamentárias são fatos compreensíveis por parte da sociedade. Eventuais necessidades urgentes de repasse pelo Governo do Estado deveriam ser definidas no Conselho Gestor do Fethab, e não poderiam ter sido feitas de forma impositiva como ocorreu”, atacou a Aprosoja.

Ao que parece de nada adiantou a decisão e o apoio maciço da Aprosoja em “sugerir” o nome de Carlos Fávaro (PP) na chapa de Taques como vice-governador, ele que é ex-presidente da Aprosoja, renunciou ao cargo para ser os olhos, ouvidos, mãos e a boca da classe dos produtores para dentro do plano de governo do pedetista.

Leia também:  Antero não confirma ida para o Podemos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.