Passageiros estão preocupados com aumento - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Passageiros estão preocupados com aumento – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

A partir desta sexta-feira (20), a tarifa de ônibus custará R$ 0,25 mais caro para pagamento em dinheiro e R$ 0,20 a mais para pagamento com cartão, ou seja, em caso de aquisição antecipada via cartão eletrônico, a passagem de R$ 2,80 custará R$ 3,00 e de R$ 2,85 no dinheiro passará a ser cobrado R$ 3,10. Um aumento de 7% e 8,7% respectivamente. O decreto autorizando o reajuste, foi publicado ontem (17), no Diário Oficial da Prefeitura Municipal de Rondonópolis.

Contudo a notícia pegou os rondonopolitanos de surpresa. As pessoas que dependem do serviço de transporte, estão revoltadas pelo valor e questionam o fato do assunto não ter sido previamente discutido. Durante a entrevista realizada na tarde de hoje (18), no ponto de ônibus da avenida Marechal Rondon, nenhum dos passageiros sabiam do reajuste.

Leia também:  Consumidores investem em produtos criativos para presentear no Dia dos Pais
De roxo, Madalena comenta o assunto - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
De roxo, Madalena comenta o assunto – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

A dona de casa Zilda Queiroz Paixão explica que não utiliza muito o transporte coletivo, mas acha o valor alto. “Querer a gente não quer que haja reajuste, mas não tem como fazer nada né”, questiona.

Surpresa com a notícia, a autônoma Madalena Candido Pereira, que diariamente usa o transporte público, não acha justo a quantia que subiu sem nenhuma contra partida da empresa Cidade de Pedra.

“Se fosse para colocar ar condicionado nos ônibus seria bom, mas além do calor, os carros só quebram e demoram a passar”, lamentou Madalena.

O último reajuste aconteceu há menos de um ano, em julho do ano passado, fato questionado pela pequena comerciante Vanda Duque Rosa.

Leia também:  Mutirão oferecerá casamento comunitário em Rondonópolis

“Não foi esses dias que teve reajuste? Dependo do transporte e agora vou pagar mais caro, sem ter nenhum investimento no conforto por parte da empresa de ônibus”, reclamou Vanda.

CIDADE DE PEDRA

Paulo Sérgio gerente Cidade de Pedra - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Paulo Sérgio gerente Cidade de Pedra – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Em entrevista ao Site AGORA MT, o gerente da Cidade de Pedra, Paulo Sérgio, negou que o assunto não tenha sido discutido anteriormente.

“Não é desejo da empresa reajustar a passagem, mas o nosso custo aumentou, tanto de peças, como folha de pagamento e combustível. Só para se ter uma ideia, houve três aumentos no diesel desde a última atualização da tarifa. Por isso que de janeiro para cá estamos negociando o reajuste”, afirmou Paulo.

Leia também:  Nova etapa da Operação 'Bairro Seguro' conta com apoio do Exército

O gerente ainda avalia que conforme os indicadores técnicos, o ideal é que a passagem custasse R$ 3,25. Entretanto ele não garante que este valor que será atualizado na sexta, possa ser mantido por um bom tempo.

“Depende destes fatores citados anteriormente. Hoje a folha de pagamento ocupa 50% do orçamento e mais 22% são de combustíveis”, acrescentou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.