O Tribunal de Justiça (TJ) de Mato Grosso, determinou na tarde desta segunda-feira (09), a suspensão da greve dos servidores públicos de Rondonópolis. A liminar foi concedida pelo desembargador Dirceu dos Santos em resposta a uma ação ingressada na última semana pela Procuradoria da Prefeitura Municipal de Rondonópolis.

Conforme o despacho, os funcionários públicos devem retornar ao trabalho no prazo máximo de 72 horas, sob pena de multa diária ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (SISPMUR), no valor de R$ 10 mil ao dia.

Em um trecho da decisão, Dirceu relata que além de ilegal, a greve presume ser abusiva. “Determino a suspensão do movimento grevista coordenado pelo SISPMUR, por sua fumaça de abusividade, com o imediato retorno dos grevistas às suas atividades laborais”, relata.

Leia também:  Agosto Dourado | Hora do Mamaço: É preciso valorizar o aleitamento materno

O fim da greve foi discutido entre a categoria mais cedo, durante a Assembleia Geral dos servidores, porém mesmo diante de uma nova proposta encaminhada pelo prefeito Percival Muniz (PPS), durante reunião, os servidores determinaram continuar com os braços cruzados.

PREFEITURA
A ação foi ajuizada na última quarta-feira (04), pela Procuradoria da Prefeitura Municipal de Rondonópolis, após várias reuniões de negociação entre as partes.

“O prefeito tentou de todas as formas chegar em um entendimento com a categoria, oferecendo a correção de aumentos e distorções”, esclareceu o procurador Geral do Município, Fabrício Miguel Correia.

Ainda de acordo com Fabrício, mesmo com a decisão, o que foi proposto pelo Executivo será mantido.

Leia também:  Rondonópolis alcança o 2° lugar em negociação no mutirão fiscal do Estado

OUTRO LADO
A reportagem do Site AGORA MT, por várias tentativas, ligou para o presidente do SISPMUR, Rubens Paulo, para saber o sindicato irá acatar a decisão. Contudo, o sindicalista não atendeu as ligações.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.