O Gabinete de Coordenação de Assuntos Humanitários da Organização das Nações Unidas (ONU) reduziu hoje (17) de 24 para 11 o número de mortes causadas pela passagem do ciclone Pam em Vanuatu, número que coincide com os dados oficiais do país.

Segundo a ONU, 3.300 pessoas foram retiradas de casa e acolhidas em 37 centros nas províncias de Torba, Pename e Shefa.

As autoridades decretaram estado de emergência em Shefa, província em que vivem cerca de 80 mil pessoas e a que pertence à capital Port Vila.

O balanço completo dos efeitos da passagem do ciclone pelas cerca de 80 ilhas do país ainda não está concluído por causa de problemas nas redes de telecomunicações. Hoje, continuam os voos de reconhecimento de aparelhos australianos e franceses sobre as áreas mais afetadas pelo ciclone.

Leia também:  Incêndio de grandes proporções atinge shopping de Moscou

Entre os mortos, segundo a imprensa local, há um recém-nascido, atingido pela queda de um teto, uma mãe e o filho adolescente atingidos por destroços arrastados pelos fortes ventos e pelo menos cinco pessoas vítimas de naufrágio.

Ao todo, as organizações internacionais estimam que 60 mil pessoas tenham sido afetadas pela passagem do ciclone naquele país do Pacífico Sul.

A Federação Internacional da Cruz Vermelha pediu hoje fundos de emergência de 3,9 milhões de francos suíços (3,6 milhões de euros) para a assistência às vítimas.

“Estamos extremamente preocupados com a segurança e o bem-estar de muitas comunidades afetadas pelo ciclone, particularmente nas regiões mais remotas do país, a que só se tem acesso de barco”, afirmou, em comunicado, a representante da Federação para o Pacífico, Aurelia Balpe.

Leia também:  Ex-chefe de campanha de Donald Trump tem casa fiscalizada por FBI
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.