Fachada da Câmara Municipal de Itiquira - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Fachada da Câmara Municipal de Itiquira – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

O vereador Afonso Aragão (PSDB), pediu nesta semana, à controladoria interna da Câmara Municipal de Itiquira, uma declaração de inexistência de parentesco. O parlamentar afirma que existe nepotismo dentro da Casa de Leis. A denúncia foi feita com base na lei municipal 718/2011 que veta a nomeação de parentes em cargos administrativos na administração pública.

Conforme informou Afonso, o assessor da Secretaria de Administração/Sala da cidadania, Paulo Alves de Figueiredo, popular Paulinho Figueiredo, é sobrinho do Secretário de Administração da Casa, Ademir Alves de Oliveira, popular Ademir da Santina.

“Temos que começar a fazer o certo dentro de casa. Não preciso esclarecer ao secretário Ademir que esta situação é irregular, pelo fato dele ser um dos vereadores que aprovou a referida lei em 2011”, explicou Afonso Aragão.

Leia também:  Demolição provoca guerra de vídeos nas redes sociais entre suplente e vereador

Afonso ainda explica que se a denúncia for levada em frente, pode acarretar em um processo de ilegibilidade ao presidente da Câmara, vereador Licurguio Lins (PT).

OUTRO LADO

A reportagem do Site AGORA MT tentou contato com o presidente da Casa de Leis, vereador Licurguio, porém o mesmo não se encontra na cidade.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.