Foi dada a largada para a quarta temporada do “The Ultimate Fighter Brasil – em busca de campeões”. O reality show, que dá aos vencedores um contrato com o UFC, começou neste domingo e, diferentemente das outras edições, as gravações com atletas dos pesos galo e leve  aconteceram em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Liderado por Anderson Silva – que atua em três episódios antes de ser substituído por Rodrigo Minotauro, devido ao caso de doping -, e Mauricio Shogun, o reality show apresentou seus oito primeiros classificados, que “estrearam” o octógono desta temporada. Autor de um nocaute cinematográfico, Bruno Korea carimbou passagem para entrar na casa, assim como o argentino Nazareno Malegarie e outros seis atletas: Joaquim “Neto BJJ” Silva, Dileno Lopes, Matheus Nicolau, Glaico “Nego” França, Bruno “Bulldog” Silva e Erick “Índio Brabo” da Silva.

Presidente do UFC, Dana White aparece no início rasgando elogios a Anderson Silva e a Mauricio Shogun, diante dos postulantes ao título. A tônica dos discursos dos técnicos aos lutadores foi a seriedade com que devem encarar a rotina no programa – uma sugestão que prega o contrário do que se viu na última edição, marcada por brincadeiras em excesso.

– É importante que vocês se respeitem, mantenham a disciplina na casa e evitem o vandalismo. Isso não combina com nenhum lutador – pediu Anderson, apoiado por Shogun.

– O nosso esporte passou por muito preconceito e ainda passa. Queremos mostrar para as pessoas que somos seres humanos, que isso é uma profissão. Vamos mostrar nosso profissionalismo e buscar os sonhos sem desrespeitar ninguém.

Antes das lutas eliminatórias, os participantes aparecem celebrando a oportunidade de gravarem em Las Vegas e vão à luta de Anderson Silva x Nick Diaz, sediada dia 31 de janeiro, no UFC 183.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG

O programa deste domingo contou com muitos nocautes, finalizações e apenas um duelo – o do argentino Nazareno Malegarie – ficou nas mãos dos jurados.

Confira os classificados:

Bruno “Korea” Mesquita (RJ) nocauteia Franklyn “Arrocha” Santos (SE)

Na primeira luta eliminatória, Franklyn Arrocha tomou a iniciativa caminhando em direção ao adversário e desferindo chutes baixo. Tímido no combate, “Korea” disparou seu primeiro golpe apenas depois de dois minutos, um chute rodado sem contundência. O especialista em taekwondo, no entanto, acertou um outro chute rodado na sequência, que explodiu no rosto do adversário. “Arrocha” caiu duro, e o oponente nem precisou dar mais nenhum golpe, com 1m43s do duelo válido pelo peso-galo.

– Foi uma luta que me impressionou. O Korea começou passivo, deu dois golpes e um dele foi um giro no rosto, conseguindo um belo nocaute. Foi lindo mesmo! – disse Shogun.

Joaquim “Netto BJJ” Silva (GO) vence Carlos “Mistoca” Costa (DF) por nocaute técnico

Na primeira luta pelo peso-leve, “Neto BJJ” e “Mistoca” fizeram um combate polêmico, segundo Anderson Silva e Mauricio Shogun. Após uma vitória para cada lado, foi necessário um terceiro round para desempatar o confronto. Na última etapa, “Mistoca” baixou a guarda, ofereceu o rosto de propósito e foi atingido pelo adversário no braço, se lesionando. No chão, exaurido, ele forçou o árbitro John McCarthy a decretar o nocaute técnico.

– O Carlos brincou tentando instigar o Neto, que manteve a calma, sem brincar. Foram dois rounds parelhos. No fim do terceiro, o Carlos, que na minha opinião ia vencer, sentiu os golpes, caiu no chão, cansado, e o juiz deu a vitória por nocaute técnico – afirmou Shogun.

Dileno Lopes (AM) finaliza Renato “Franguinho” Mônaco (PR) com um mata-leão no primeiro round

Leia também:  Academia é destaque em competição em Minas Gerais

Desistir é uma palavra que não consta no vocabulário de Dileno Lopes. O atleta, que perdeu para Rony Jason nas seletivas do TUF Brasil 1, voltou a tentar uma vaga no programa. E, desta vez, conseguiu. O amazonense encarou Renato “Franguinho” e não tardou a celebrar o triunfo. Ele derrubou, montou e, após o adversário se virar, encaixou o mata-leão, sentindo o peso-galo bater a 2m55s de luta.

– Foi uma luta que não esperávamos que acabasse como acabou. O Renato tem uma técnica boa em pé, mas o Dileno tem uma estrutura mais forte e um jiu-jítsu melhor. Ele acabou levando a luta para o chão e venceu com um pouco mais de facilidade – disse Anderson Silva.

Nazareno “El Tigre” Malegarie (ARG) derrotou Edson “PC” Pereira (SP) por pontos

O TUF Brasil 4, assim como a segunda edição do programa, terá um argentino radicado no Brasil. Nazareno Malegarie foi superior a Edson “PC” nos dois rounds da seletiva e, por decisão unânime dos jurados, carimbou seu passaporte para buscar o título dos leves do reality show.

– É uma alegria muito grande, fico até emocionado. Meu pai e minha mãe trabalham, se sacrificam, abrem mão de suas coisas, para eu estar aqui – festejou o “hermano”, que mora e treina em Florianópolis, Santa Catarina, empolgado com a oportunidade que terá de mostrar suas habilidades.

Matheus Nicolau (MG) finaliza Mateus “Pitbull” Vasco (SP) com um mata-leão no primeiro round

Matheus Nicolau defendeu bem um arm-lock logo no início do embate e não permitiu que o adversário se levantasse, dominando-o no chão. O peso-galo foi para as costas, encaixou o mata-leão e, a 1m16s do fim da etapa inicial, fez Mateus Vasco bater.

– Na hora que ele venceu eu fiz um “x”, pois é um atleta que gostaria muito de ter no meu time. Eu o vejo com potencial para ser finalista do TUF – enalteceu Shogun.

Leia também:  Pesso chega e começa a montar o União

Glaico “Nego” França (SC) finaliza Raush “Cavalo de Guerra” Manfio (RS) com um mata-leão

O duelo entre os pesos-leves foi definido no segundo round. Glaico derrubou Raush Manfio e, quando este virou de costas para tentar se levantar, “Nego” – que já havia tentado várias vezes – encaixou o mata-leão e forçou o adversário a bater quando faltavam 2m14s para o término do assalto.

– O Raush treina com a gente lá (Team Nogueira). O Glauco fez uma luta espetacular, não tem nem o que falar – comentou Anderson Silva.

Bruno “Bulldog” Silva (SP) derrota Gustavo Sedório (PR) por nocaute técnico no primeiro round

Logo nos primeiros movimentos, o peso-galo Bruno “Bulldog” desferiu um forte chute frontal, que estourou no queixo de Sedório. O duelo transcorreu normalmente com superioridade do paulista, no entanto, no intervalo, um médico da organização constatou fratura no maxilar de Sedório – impedido de seguir no embate. A vitória por nocaute técnico, portanto, ficou com “Bulldog”.

– Acertei uma ponteira no queixo e senti que ele ficou bem mal. Vou mostrar meu jogo para o UFC, para a América e para o mundo – bradou o vencedor.

Erick “Índio Brabo” da Silva (AM) venceu Gabriel Macário (SP) por nocaute técnico no segundo round

O ground and pound foi decisivo no combate envolvendo os pesos-leves. Por cima, “Índio Brabo” desferiu uma cotovelada que abriu um corte no rosto de Gabriel Macário. O juiz decidiu que, para preservar a integridade física do paulista, o melhor seria encerrar o confronto. Sendo assim, o amazonense faturou a vitória por nocaute técnico e está dentro do reality show.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.