A construção do trecho ferroviário ligando Lucas do Rio Verde a Cruzeiro do Sul (AC), na EF-354, mais conhecida como Ferrovia Transcontinental, segue fora das prioridades do governo e não é mencionada no Orçamento da União, sancionado pela presidente Dilma Rousseff.

A não inclusão já havia sido sinalizada no ao projeto na de lei para diretrizes de elaboração e execução do orçamento, em janeiro. Com isso, continua indefinido se o trecho sai do papel ou não. No despacho do vento, encaminhado como mensagem à presidência do Senado, outras ações no modal ferroviário nacional também foram vetadas.

A presidente justificou que o projeto encaminhado pelo Poder Executivo ao Congresso Nacional estabeleceu que as prioridades da Administração Pública Federal restringiam-se às ações relativas ao Programa de Aceleração do Crescimento – PAC e ao Plano Brasil Sem Miséria.

Leia também:  AMM aciona secretaria para garantir repasse de recursos da saúde

Com isso, explicou que “a ampliação do rol de prioridades, mediante a inclusão de ações […], desorganizaria os esforços do governo para melhorar a execução, monitoramento e controle de suas prioridades já elencadas, afetando, inclusive, o contexto fiscal que o país enfrenta”.

A Valec, estatal responsável, aponta que a ferrovia foi planejada para ter aproximadamente 4,4 mil km de extensão em solo brasileiro, entre o Porto do Açu, no litoral do estado do Rio de Janeiro e a localidade de Boqueirão da Esperança (AC), como parte da ligação entre os oceanos Atlântico, no Brasil, e Pacífico, no Peru.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.