O corpo de um bebê de 2 meses de vida foi exumado na cidade de Colniza (1.065 a Noroeste), no domingo (19.04), por suspeita de morte violenta. A criança morreu no dia 14 de abril, por suposta morte natural, mas durante a necropsia o médico legista levantou suspeita de sufocação manual.

O delegado de Colniza, Marco Bortolotto Remuzzi, informou que testemunhas também apresentaram versões diferentes, que não estavam de acordo com o depoimento do médico legista, que atestou o óbito. “Diante das divergências representamos por autorização judicial para que fosse realizada a exumação do corpo e posterior necropsia”, disse o delegado. “A exumação do corpo foi feita com o objetivo de verificar se a morte foi natural ou violenta”, completou.

Leia também:  Dama do tráfico é presa com aliados, R$ 2 mil e mais de 50 tabletes de droga

Após o laudo, a Polícia Civil vai verificar se o fato foi atípico ou criminal, sendo morte natural o inquérito será relatado e pedido o arquivamento. No caso de crime, as investigações prosseguem para responsabilizar os autores.

O delegado também disse que a agilidade do juiz da comarca, que deferiu o pedido de exumação no mesmo dia que foi entregue, foi importante para rápida exumação do corpo da criança, enterrada há poucos dias.

A exumação foi realizada por médicos legistas da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), na presença do delegado Marco Bortolotto Remuzzi, dos investigadores Anderson Alves Xavier e Thiago Fabiano Dutra.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.