Foto: Internet
Foto: Internet

Estresse, poluição, medicamentos, pesticidas e outras substâncias contidas em alimentos e produtos industrializados, dificilmente eliminados pelo rim e pelo fígado, infelizmente fazem parte do dia a dia. É aí que entra a tão comentada “dieta da detoxificação” – popularmente chamada de “detox”. “As pessoas acreditam erroneamente que o objetivo da dieta é o emagrecimento, mas o foco é ‘organizar’ o organismo, promovendo o equilíbrio e aumentando sua capacidade de absorção de nutrientes. Ao eliminar as toxinas que muitas vezes propiciam a retenção de líquidos, elas percebem a redução das medidas e a perda de peso acontece por consequência”, explica a nutricionista Deborah Torci.

Todos os alimentos inflamatórios ou alergênicos, também conhecidos como antinutrientes, devem ser evitados durante a dieta detox: cafeína, álcool, soja, carne vermelha, gordura trans, aromatizantes, embutidos, enlatados e processados.

Leia também:  Jack Johnson fará dois shows no Brasil em novembro

As pessoas costumam procurar o detox quando exageram no fim de semana, mas a verdade é que devemos ingerir 60% destes alimentos diariamente contra 40%, no máximo, de inflamatórios. “A dieta moderna proporciona exatamente o contrário ou mais. Açúcares, frituras, álcool e industrializados são consumidos em uma proporção muito maior do que frutas, verduras, legumes e cereais integrais”, conta a nutricionista. Quanto à duração da dieta, depende do objetivo e das necessidades de cada um: ela pode durar, 1 dia, 10, 15, 30 ou até mais de um mês.

Confira abaixo cinco alimentos importantes para a dieta detox:

Alimentos integrais
São ricos em fibras que promovem maior sensação de saciedade e melhoram o trânsito intestinal, além de ajudarem a controlar os níveis de açúcar e colesterol.

Leia também:  Sexo frequente turbina cérebro em maiores de 50 anos

Folhas verdes escuras

Couve, acelga, mostarda, rúcula, agrião, brócolis e espinafre são fontes de vitaminas A, C e K – esta última conhecida como “vitamina anti-hemorrágica” -, fibras, cálcio e ferro. Todos esses vegetais auxiliam no funcionamento do organismo e na limpeza de toxinas do fígado que se acumulam ao longo do dia.

abacaxiAbacaxi

Além de ajudar na digestão dos alimentos devido à enzima chamada bromelina, a fruta contém antioxidantes que protegem o organismo contra os radicais livres, que estão associados ao processo de envelhecimento, e vitamina C, que ajudam a proteger o sistema imunológico. Aproveite-o em sucos e saladas!

Chás verde e de hibisco

Concentram antioxidantes capazes de diminuir as toxinas das células, facilitando a chegada de nutrientes até elas. Como são diuréticos, eles ajudam a diminuir a retenção de líquido. Que tal substituir o cafezinho logo após o almoço por um chá verde ou de hibisco? No entanto, é importante utilizá-los in natura. “Quando as ervas são submetidas ao processo de industrialização, são acrescidas diversas substâncias – como conservantes, corantes e adoçantes – que bloqueiam o processo”, alerta Deborah.

Leia também:  Dor no pé? Pode ser fascite plantar!

limão 01Limão
A fruta pode ser azeda, mas contém compostos que estimulam a produção da bile pelo fígado, substância que ajuda a isolar a gordura e facilita a absorção dos nutrientes.

Bônus: Água
É isso mesmo! O detox é ineficiente quando não há consumo efetivo de água ao longo da dieta. Se a ingestão de água não for adequada, as toxinas não são eliminadas. Anotou?

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.