Para aqueles que se esbaldaram na Páscoa, chutaram o balde e esqueceram-se da dieta, começa o pesadelo de tentar eliminar (e não perder, porque quem perde pode achar de volta!), os indesejados muitos quilos a mais. Secar é o objetivo. Perder peso rápido após a Páscoa é a primeira meta do ano de quem até agora estava “perdido” por aí. Lembrando que este, certamente, não é o melhor caminho, e que o ideal seria a educação alimentar fazer parte também dessas datas comemorativas. Ainda assim, solidarizando-se com os desesperados novos fofos e também com os antigos e agora mais ainda fofos, aqui vão algumas dicas para emagrecer.

A primeira dica pode ser chamada de juízo! Comer de tudo um pouquinho, de maneira saudável, sem maluquices, tomar bastante água e praticar uma atividade física regularmente. Claro que a esta altura, já estou levando vaias, então, pularemos a etapa do bom-senso e partiremos para a segunda.

Sugestão de dieta
A segunda dica para perder peso rápido após a Páscoa é optar pelas dietas com base em proteínas. Estas são as dietas do momento, e que diversas celebridades já confessaram terem sido adeptas por um tempo, ou estão praticando no momento. Esta é uma dieta que restringe o consumo de carboidratos e aumenta o consumo de proteína (carnes magras essencialmente), vegetais do grupo A são liberados e podemos comer à vontade (como exemplo podemos citar a abobrinha, alface, agrião, aspargo, cebola, couve, couve-flor, chicória, pepino, rabanete, tomate, brócolis, espinafre, mostarda, berinjela, repolho, pimentão, palmito e nabo), e também são controlados os vegetais do grupo B, pois estes contém carboidratos (para exemplificar este grupo podemos citar abóbora, cenoura, chuchu e vagem). Para os vegetais do grupo B citados, a recomendação é de que a quantidade não passe de um duas colheres de sopa no almoço e mais duas no jantar.

Leia também:  Novo tratamento para insuficiência cardíaca duplica benefícios

As frutas também tem um papel de vilãs na dieta da proteína. Apenas meio abacate por dia é liberado nos primeiros quinze dias de dieta. Somente após esta quinzena é que algumas porções de morango, pera, mamão papaia e melão serão acrescentadas ao cardápio.

Quanto ao leite, este não é um alimento liberado. Pode-se substituir a bebida pelo leite de soja zero, gelatina zero, e refrigerante zero. Para cada um destes há uma porção recomendada. Para o leite de soja, dois copos por dia. Para o refrigerante zero, é sempre bom evitar, tomar apenas em último caso porque refrigerante não é nem nunca foi uma bebida saudável, independente da sua composição. A gelatina zero pode ser tomada três vezes ao dia. Para os demais momentos de sede, água é o que nos resta.

Leia também:  Comer arroz pode fazer mal à saúde?

As carnes ideais para serem usadas neste período são as carnes magras. Evite gordura sempre que possível, em dieta ou fora dela. Algumas gorduras são boas e saudáveis, mas essas “graxas” mais pesadas só servem para entupir nossas veias e artérias, além de se acumularem em locais indesejados do nosso corpo. Dê preferência ao peito de frango grelhado, ao bifinho selado em uma frigideira antiaderente e cozinhe bem os alimentos. A quantidade a ser observada para estes alimentos pode ser medida como o tamanha da palma de nossa mão. Uma unidade de carne que tenha este tamanho aproximado é suficiente para o organismo em duas refeições, uma no almoço e outra na janta.

Leia também:  Abacate em defesa das artérias

Quanto aos demais alimentos corriqueiros como ovos e frios, há de se observar algumas peculiaridades. Dois ovos por dia no máximo. Evite frituras e nem pensar em empanados. Nada de farinhas, pães, arroz, massas e batatas. Queijo pode, mas não é liberado. Deve optar pelos queijos brancos, com menor teor de gordura e no máximo três fatias finas por dia. Lembrando que o queijo pode causar problemas na hora da evacuação, convém nunca abusar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.