Perfil no Twitter, presença em festas e fotos ao lado de modelos e astros da música. Estas coisas comuns na rotina de Lewis Hamilton não fazem parte da realidade de Sebastian Vettel. O estilo completamente oposto dos dois pilotos tem se tornado motivo de polêmica ultimamente. Antes da surpreendente vitória do alemão da Ferrari no último domingo, na Malásia, o chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, declarou que o inglês da Mercedes era o “modelo ideal de campeão” e que Vettel deveria seguir o exemplo de seu rival.

Na opinião do dirigente de 84 anos, Hamilton é mais “midiático” e consegue divulgar melhor a categoria pelos lugares onde passa, enquanto Vettel é reservado demais e não faz muita questão de ser popular. As críticas foram rebatidas nesta terça-feira pelo ex-piloto Gerhard Berger, companheiro de Ayrton Senna na McLaren nos anos 1990 e titular da Ferrari de 1987 a 1989 e de 1993 a 1995.

Leia também:  União, mesmo com derrota, avança e joga de novo contra o Dom Bosco

– Bernie Ecclestone criticou Vettel por ele não representar adequadamente a Fórmula 1. Por que Vettel não tem o direito de levar um estilo de vida recatado, se é isso que ele gosta? No domingo, Vettel caminhou pelo único tapete vermelho que realmente importa: o de vencedor da corrida – disparou Berger, em entrevista ao jornal alemão “Sport Bild”.

Em sua fala, o ex-piloto austríaco de 55 anos alfinetou o comportamento de Hamilton, conhecido por fazer uso intensivo de redes sociais e por ser frequentador assíduo de festas e eventos de gala. Vettel, por outro lado, prefere levar uma vida longe dos holofotes e passa a maior parte do tempo com a esposa e filho em sua residência na Suíça.

Leia também:  Brasil joga primeira partida do Grand Prix em Cuiabá

Ecclestone garante que não vê problemas por Hamilton frequentar eventos sociais e mostrar seu lado emotivo e explosivo durante entrevistas. Segundo o dirigente, isso é “bom para o esporte”, por despertar o interesse do público e suscitar polêmicas. O chefão da categoria teria inclusive criticado a forma como Vettel lidou com sua transferência da RBR para a Ferrari, porque o alemão optou por poupar a antiga equipe de críticas e fazer todo o processo de forma muito discreta.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.