Foto: Rádio Pioneira
Rosana de Oliveira Goulart – Foto: Rádio Pioneira

Rosana de Oliveira Goulart, 20 anos, foi condenada pela Justiça a 39 anos e 8 meses por estupro, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Os crimes foram cometidos contra o próprio filho, Pablo Henrique de Oliveira, de apenas 2 anos, na cidade de Tangará da Serra (MT).

O crime ocorreu há pelo menos dois anos, na ocasião, a mulher teria atingido a cabeça do menino com pauladas, em seguida, abusado sexualmente da criança e abandonado o corpo no meio de um canavial, há 2 quilômetros do sítio onde eles moravam. Para a perícia, o garoto morreu aos poucos, devido aos ferimentos no corpo.

Ainda conforme os autos, Rosana já havia tentado matar a criança anteriormente quando Pablo tinha apenas seis meses, na época, ela jogou o filho no chão, o que causou traumatismo craniano na criança. O bebê foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e sobreviveu. Porém, em novembro de 2011, a Justiça autorizou o retorno da criança à família.

Leia também:  Carro é recuperado e vítima morre com tiro na nuca em Rondonópolis
Foto: Reprodução / Repórter News
Foto: Reprodução / Repórter News

Confissão

De acordo com Ministério Público Estadual (MPE), durante o julgamento, a ré confessou crime e relatou que teria batido com um pau na cabeça do filho porque ele não parava de chorar. Rosana está presa desde abril de 2013.

Participação no crime

A suspeita que outras pessoas tenham participado do crime ainda não está descartada pelo MPE. Um exame de DNA reforça que Rosana não teria agido sozinha, o documento revela que identificaram material genético de um indivíduo do sexo masculino, mas que não é nenhuma das pessoas investigadas, como o pai da ré e o companheiro dela.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.