O ex-secretário Éder Moraes foi preso novamente na manhã desta quarta-feira (01) pela Polícia Federal – PF em sua residência, no condomínio Florais dos Lagos, na região da MT-010, em Cuiabá (215 Km de Rondonópolis). Ele é alvo da Operação Ararath, onde a PF cumpre o mandado de prisão preventiva de busca e apreensão à denúncias de prática de supostas operações imobiliárias fraudulentas.

Segundo as informações, os agentes entraram no condomínio “à paisana” para não chamar atenção dos demais moradores. Eles estavam em uma BMW preta descaracterizado.

Esta é a segunda vez que Éder Moraes é preso na Operação Ararath, como sendo o principal operador do esquema de desvio e lavagem de dinheiro público, alvo da investigação. Em maio do ano passado, ele foi detido na quinta fase e permaneceu por mais de 80 dias detido no Complexo Penitenciário da Papuda e Centro de Custódia de Cuiabá. Ele foi solto em agosto do ano passado por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

Leia também:  Hackers da Anonymous divulgam dados de Temer e ministros do governo

Desde então, Éder foi denunciado sete vezes pela Justiça Federal. Nas audiências de instrução, ele tem feito costumeiras críticas ao Ministério Público Federal e a Justiça Federal.

O novo pedido de prisão seria embasado na denúncia de envolvimento em práticas que violariam a decisão judicial que lhe concedeu liberdade provisória. De acordo com a PF, Éder Moraes estava se desfazendo de bens para evitar possíveis bloqueios. Foram feitas operações imobiliárias fraudulentas, com valores inferiores aos praticados no mercado.

Estes imóveis e veículos de alto padrão foram transferidos pelos suspeitos para “laranjas”. A medida, de acordo com a PF, tem “o notório intuito de ocultar a real propriedade e impedir o cumprimento de decisão judicial de sequestro e arresto de bens”.

Leia também:  Bolsonaro passa Lula e lidera pesquisas para presidência de 2018
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.