MT-140 Foto: Assessoria
A MT-140 escoa a produção agrícola da região –  Foto: Assessoria

Reivindicação antiga dos moradores dos municípios agrícolas do Alto Teles Pires (Norte de Mato Grosso), a pavimentação e a abertura de novos trechos da rodovia MT-140 diminuirá em até 260 quilômetros a distância para escoar a produção agrícola da região por meio da Ferronorte, em Rondonópolis, que leva a safra até o Porto de Santos. Depois de finalizada, a expectativa é economizar cerca de R$ 249,5 milhões em um ano, apenas com custo do frete.

Os dados fazem parte de um estudo técnico do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) encomendado pela Associação de Beneficiários da Rodovia MT-140. O trabalho subsidiou o projeto executivo de viabilidade da rodovia, que custou aproximadamente R$ 3 milhões, e foi entregue pelos produtores rurais ao governador Pedro Taques, em evento nesta terça-feira (07.04), em Santa Rita do Trivelato (445 km ao norte de Cuiabá).

Leia também:  Primavera do Leste | MPE denuncia organização criminosa que atuava no ramo imobiliário

O governador fez um compromisso de finalizar a rodovia, que é uma alternativa paralela a BR-163. “Nós todos não aguentamos mais essas promessas. Desde 2003 as pessoas estão esperando essa rodovia. Não vim fazer promessa, vim fazer um compromisso”, declarou. A determinação para que a rodovia seja feita em parceria com os produtores rurais foi dada ao secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo Duarte.

O Governo de Mato Grosso fará um convênio com os produtores da região para que seja viabilizada a rodovia. “O Governador me chamou e disse: Marcelo dá um jeito. E é isso que vamos fazer. Tenho certeza que esta rodovia beneficiará não somente os produtores, mas toda a população. Isso porque a estrada que leva a produção também é por onde passa a ambulância, o carro de polícia e o ônibus escolar”, afirmou o secretário.

Os empresários do agronegócio já fazem as contas de quanto poderão economizar. “A área de influencia da nossa rodovia de aproximadamente 215 km, vindo do entroncamento da BR-242 até Planalto da Serra, é de cerca de 750 mil hectares de soja e mais 400 mil hectares de milho. A rodovia poderá trazer uma economia de R$ 500 por ano para o produtor só em frete. Isso sem falar nos benefícios indiretos da rodovia”, disse o presidente da associação Norival Rico Filho, destacando que a rodovia seria praticamente uma “triplicação” da BR-163.

Leia também:  Cuiabá sediará campeonato brasileiro de montaria em touros

Um dos primeiros produtores de Santa Rita do Trivelato, Egon Hoepers comemorou o anuncio feito pelo Governador. “Acho muito importante esse posicionamento político do atual governador. Esse asfalto já era para ter sido feito pelos governos anteriores. Espero que o Taques nos ajude a terminá-lo”, disse.

Os prefeitos da região Norte preveem que os municípios poderão entrar em um novo nível de desenvolvimento humano. “É um sonho realizado. Graças a Deus nossos municípios começaram a ser valorizados. Eu, como gestora, entendo que essa parceria entre produtores rurais e o Governo irá beneficiar muitas pessoas, trazer grandes empresas e o progresso tão espero para a nossa região”, afirmou a prefeita de Planalto da Serra, Angelina Benedita Pereira.

Leia também:  Alunos trans e travestis poderão usar nome social em documentos acadêmicos na Unemat

“Se a gente fizer uma retrospectiva sobre o desenvolvimento de municípios como Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop, nós podemos afirmar que eles foram beneficiados diretamente pela BR-163. Apesar de possuirmos as mesmas características, nós acreditamos que fomos prejudicados durante esses anos. Agora, com essa MT-140, que é paralela a BR-163, poderemos ter uma alternativa mais viável para escoar a nossa grande produção agrícola”, disse prefeito de Santa Rita do Trivelato, Hugo Garcia Sobrinho.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.