Foto: assessoria
Foto: assessoria

O prefeito Percival Muniz anunciou, na noite desta terça-feira, o fim do drama das cerca de 500 famílias que moram no condomínio Terra Nova. A informação foi dada durante a reunião no salão do residencial, com moradores, vereadores, secretário de Infraestrutura, presidente e diretor técnico da Coder, prefeito e vice-prefeito.

Os moradores passaram por situações de risco nos últimos dias, com a enxurrada que atinge o residencial. A água da chuva desce pela parte alta da região, que vem, sem nenhuma infraestrutura, desde o Jardim Atlântico, passando pelo Sagrada Família e Cidade de Deus, desembocando em frente ao Terra Nova.

Desde a semana passada a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis- Coder, o Sanear e a Sinfra, estão envolvidos em uma obra paliativa, onde parte da rua lateral do Terra Nova, que foi levada pelas águas da chuva e ameaçava as casas, está sendo recuperada. Para o presidente da Coder, Rodrigo da Zaeli, só na área vão ser colocadas mais de 400 cargas de terra.

Leia também:  Policial aposentado é encontrado morto dentro do banheiro de sua residência

“Aqui era o maior corredor de águas da chuva da cidade, onde desemboca tudo o que passa pelos bairros mais altos. Nós não estamos parados e já realizamos várias reuniões técnicas. Agora é definir como começaremos as obras que no total somam mais de R$ 86 milhões só em drenagem. Mas sabemos que a prioridade é acabar com o risco que todas essas famílias correm, por isso vamos deixar nesta reunião a certeza de que até o próximo ano, nesta época, pelo menos parte do problema estará resolvido. Os recursos nós vamos buscar, com certeza”, disse o prefeito

Na verdade Percival Muniz apresentou pelo menos quatro alternativas de recursos para parte da obra. “O que nós podemos fazer mais urgente é a construção das galerias aqui próximo ao residencial.

Leia também:  Força Tática recebe Moção de Aplauso em comemoração aos 10 anos do grupamento

Nosso projeto é de três galerias de 2,5 metros por 2,5 metros que vai da Alameda das Rosas até o Rio Vermelho. Essa parte vai suavizar e muito o problema e o recurso poderá vir do governo do Estado, do deslocamento do projeto da ponte da Avenida W 11; de emendas parlamentares, indicadas pelo senador José Medeiros e pelo deputado federal Adilton Sachetti; de recursos próprios, com a negociação de terrenos do município; e, por último e menos provável, de novos recursos da União, com o PAC III”.

Os moradores do residencial aproveitaram a reunião para fazer solicitações aos representantes do Executivo e do legislativo presentes. A síndica interina do condomínio, Carolinne Araújo Lábio de Oliveira, disse que a partir de agora os moradores se sentem mais seguros. “Nós acreditamos nas propostas do prefeito e vamos apoiar também na cobrança da empresa que construiu o empreendimento. A questão é ver a situação resolvida e o risco até de desabamento de algumas casas do Terra Nova, longe da nossa realidade”.

Leia também:  Vândalos atacam o sistema de iluminação pública em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.