Após uma greve de quinze dias, os servidores do Detran consolidaram a conquista da retomada do Concurso Público, que havia sido suspenso por decreto do Governo do Estado no mês de janeiro deste ano, com a publicação do edital de abertura do certame no Diário Oficial do Estado do dia 24/04, que circulou nesse sábado.

Serão 489 vagas para os cargos de Analista, Agente e Auxiliar do Serviço de Trânsito, para atender às 62 CIRETRANs, 08 agências VIPs e à sede da Autarquia. As nomeações estão previstas para ocorrer a partir do mês de setembro deste ano.

“Trata-se de uma grande vitória da categoria, que começou essa luta ainda em 2013 e conquistou com mobilizações cada etapa do concurso. Finalizamos o ano de 2014 com o edital pronto para publicação e fomos surpreendidos com a suspensão, via decreto. Agora, após uma paralisação de 24h em fevereiro e uma greve de 15 dias em março, consolidamos a realização do concurso, que é fundamental para a melhoria da qualidade no atendimento à população em todo o Estado e das condições de trabalho dos servidores”, afirma Daiane Renner, presidente do Sindicato dos Servidores do Detran-MT (Sinetran-MT).

Leia também:  Detentos da penitenciária de Cuiabá cria grupo em WhatsApp para combinar crimes

O Detran possui atualmente 840 servidores, distribuídos entre as 71 unidades do Estado, representando apenas 38% do quantitativo previsto em lei. Situação que tem causado um aumento das filas e da demora no atendimento e com graves consequências nas condições de trabalho e na saúde laboral dos servidores.

O Detran e a categoria enfrentam o sucateamento na estrutura física das unidades, nos equipamentos de trabalho, no sistema informatizado, superlotação no atendimento. Em contrapartida as taxas de serviços estão entre as mais caras do país e o trânsito do Estado figura como o terceiro mais violento do país.

“Por isso enfrentamos até mesmo liminar judicial, que estabelecia corte de ponto e multa para o sindicato e revertemos na negociação, por termos convicção de que a luta é justa, legítima e necessária. Num momento de profundos ataques aos direitos dos trabalhadores, como enfrentamos atualmente com a tramitação do PL4330/04, mantivemo-nos firmes na defesa de concurso para o setor público, de dignidade no desempenho das funções, contra a terceirização em todos os setores e contra toda e qualquer forma de retirada de direitos”, comenta Daiane.

Leia também:  Alto Araguaia | Exportação cai 11% no mês de julho
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.