Foto: DIPTENDU DUTTA
Foto: DIPTENDU DUTTA

Um terremoto de magnitude 7,9 deixou ao menos 668 mortos e muitos danos materiais no Nepal, incluindo o desabamento da histórica torre Dharahara de Katmandu.

A polícia do país confirmou que o tremor, que foi sentido na Índia e em Bangladesh, deixou ao menos 449 mortos. “O número de mortos, com base em informações recebidas em nossa rede em todo o país, chegou a 449”, informou o porta-voz da polícia, Kamal Singh Bam, à AFP.

“Foram reportadas mortes em todas as regiões, exceto no extremo oeste. Todos os nossos agentes de segurança foram mobilizados para resgatar e ajudar as pessoas em necessidade”, acrescentou.

“Recebemos informação de que há grandes perdas materiais e humanas no Nepal”, disse Krishna Prasad Dhakal, um diplomata da embaixada do Nepal em Nova Délhi (Índia). “Provavelmente centenas de pessoas morreram em vários locais do país, em particular em Katmandu e Pokhara”, acrescentou.

Leia também:  Prefeito de Mouscron é encontrado degolado dentro de cemitério

O epicentro do terremoto se situou 77 km a noroeste de Katmandu, com uma magnitude de 7,9 (inicialmente avaliada em 7,5) e uma profundidade de 15 km, segundo o USGS.

“Ao meu redor os muros das casas caíram. Todas as famílias estão do lado de fora, no quintal, amontoadas umas contra as outras, os tremores prosseguem”, constatou o correspondente de Katmandu. Um fotógrafo da AFP viu ao menos 12 corpos que foram retirados dos escombros da torre Dharahara em Katmandu.

O terremoto, que ocorreu por volta do meio-dia local (03h11 de Brasília) provocou pânico entre a população, que saiu às ruas desesperada. O tremor foi de tal impacto que foi sentido na vizinha Índia, inclusive na capital, Nova Délhi, e também em Bangladesh. “Tudo começou a tremer. Tudo caía. As paredes em torno da via principal desabaram. As portas dos estádios caíram”, disse Anupa Shrestha, um residente da zona.

Leia também:  Diante a crise lotes de coelhos são entregues para consumo alimentar na Venezuela

A polícia confirmou que muitos edifícios desmoronaram.”Nossa prioridade é o resgate nas zonas centrais de Katmandu, onde há uma maior concentração da população. Ainda não sabemos o número de vítimas”, disse à AFP o porta-voz da polícia metropolitana, Dinesh Acharya.

No Everest, vários montanhistas ficaram bloqueados pelo tremor. “O terremoto nos surpreendeu no Everest. Nós dois estamos bem (…) está nevando, então não há helicópteros a caminho”, disse em uma mensagem de texto um jornalista da AFP que se aproximava do campo base.

Tremores secundários
Segundo meios de comunicação locais, o terremoto durou entre 30 segundos e dois minutos e foi sentido inclusive na Índia. “Ainda estamos recolhendo informação e estamos tentando ajudar os afetados, em nosso país e no Nepal”, disse no Twitter o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.

Leia também:  EUA e Coréia do Sul causam clima de tensão com exercícios militares

Laxman Singh Rathore, diretor-geral do Departamento Meteorológico da Índia, disse à imprensa que o impacto do terremoto foi sentido em várias zonas do norte de seu país. “A intensidade foi sentida em todo o norte da Índia. No leste de Uttar Pradesh e em Bihar foram sentidos intensos tremores, e também na zona do oeste de Bengala e em Sikkim”, explicou.

Rathore disse que 20 minutos depois do primeiro tremor ocorreu uma réplica de 6,6 graus. “É um grande terremoto, então irão ocorrer réplicas e a população precisa ser cautelosa”, afirmou.

O funcionário disse que devido à magnitude do fenômeno e a sua duração, que em Nova Délhi (a mais de 800 km de Katmandu) se estendeu por quase 55 segundos, é provável que os danos sejam consideráveis.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.