As semanas que antecederam a primeira grande competição de 2015 foram preocupantes para a velocista Franciela Krasucki. A atleta passou por um susto que interrompeu sua rotina de treinamentos para o Mundial de Revezamentos, que acontece neste fim de semana, nas Bahamas. Parte da seleção brasileira 4x100m, ela foi diagnosticada com dengue e precisou ficar internada. Recuperada, a atleta faz questão de valorizar o apoio que recebeu da equipe, já que viajou pouco depois para o camping de preparação nos Estados Unidos.

– Tive dengue duas semanas antes da viagem. Foi um susto muito grande, pois já estava bem próximo da viagem. Mas consegui me recuperar antes e tive alta para poder viajar com a equipe. Tive todo o apoio. Fiquei dois dias no hospital, além de uma semana e meia sem poder treinar – disse Franciela, que foi internada duas semanas antes do embarque da delegação.

Leia também:  Torneios esportivos devem movimentar o fim de semana em Rondonópolis

Comandadas pelo experiente treinador Katsuhico Nakaya, as meninas do revezamento 4x100m chegam sob grande expectativa na competição de revezamentos das Bahamas. Além de Franciela, foram convocadas Vanusa Henrique dos Santos, Evelyn Santos, Ana Cláudia Lemos, Rosângela Santos e Thaissa Presti. Após um período intenso de trabalho por mais de um mês, a atleta se diz pronta para ajudar o time brasileiro. A meta principal é classificar para a final e, com isso, garantir a vaga olímpica na prova.

– Estou me sentindo muito bem, o grupo esta muito unido e temos um clima muito bom entre todas. Todos os treinos são bons porque aqui temos que trabalhar em grupo, ter um entrosamento. E também para treinar para melhor individualmente – disse Franciela, de 27 anos.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa

No Mundial de Atletismo de 2013, na Rússia, o quarteto brasileiro esteve bem perto de uma medalha, mas acabou se despedindo de mãos vazias por conta de queda do bastão em uma das passagens na final.  Para Franciela, o fato de chegarem tão perto há dois anos já provou o potencial do time como um todo.

– Provamos isso no último Campeonato Mundial. Hoje, todas as velocistas estão pensando em melhorar individualmente e isso vai ajudar muito no resultado do revezamento – analisou.

Franciela é casada desde 2012 com o fundista Kléberson Davide, duas vezes medalhista pan-americano dos 800m. Fora do país há mais de um mês, ela reconhece que não é fácil, ainda mais depois do susto recente. No entanto, a velocista diz que a internet acaba diminuindo os danos da saudade.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

– Não é fácil ficar longe, mas essa é minha profissão e tenho total apoio do meu marido. E hoje com a internet tudo ficou mais fácil, pois nos falamos e nos vemos todos os dias e isso ajuda a matar a saudade – conta.

Além do 4x100m feminino, o Brasil terá representantes nos 4x100m masculino e nos 4x400m, tanto feminino quanto masculino.

Além do Mundial das Bahamas, o atletismo brasileiro tem duas outras competições internacionais importantes na temporada. Em julho, os Jogos Pan-Americanos de Toronto. Em agosto, Pequim será o palco do Mundial de Atletismo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.