A temporada de 2015 da Fórmula 1 tem uma marca curiosa: é a primeira a ter pilotos que nasceram após a morte de Ayrton Senna, que completa 21 anos hoje. Ainda assim, as comparações àquele que é considerado um dos maiores pilotos da história da categoria perseguem até quem jamais o viu correr.

É o caso do caçula da categoria, Max Verstappen, de 17 anos. Nascido em 30 de setembro de 1997, quase três anos e meio após o acidente no GP de San Marino de 1994 que vitimou o tricampeão, o holandês foi comparado ao brasileiro pelo homem por trás de sua contratação pelo programa de jovens pilotos da Red Bull, Helmut Marko. De acordo com o ex-piloto, que foi contemporâneo de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1, a facilidade de Verstappen em conversar cm os engenheiros, mesmo com pouca experiência, lembra Senna.

Outra comparação foi feita por um dos grandes rivais do brasileiro nas categorias de base, Martin Brundle. Para o britânico, hoje comentarista de TV, “Verstappen está mostrando sinais de grandes campeões como Senna e Schumacher” em suas primeiras corridas na Fórmula 1. O piloto da Toro Rosso fez quatro provas até agora, tendo completado apenas uma, em sétimo. Porém, todas as vezes que abandonou, por problemas técnicos, estava nos pontos.

Leia também:  Jogador revelado pelo REC marca contra o Flamengo

O piloto mais jovem da história da Fórmula 1, contudo, foge dos paralelos. “É legal ser comparado a um dos melhores pilotos da história, mas cada um é diferente. Prefiro focar nas minhas próprias marcas”, declarou o filho de Jos Verstappen, que tem no pai sua grande inspiração no automobilismo.

O companheiro de Verstappen na Toro Rosso, Carlos Sainz Jr., é o outro que nasceu após a morte de Senna, em 1º de setembro de 1994. Não coincidentemente, o brasileiro não é a grande referência do novato, que diz ter sido inspirado pelo compatriota Fernando Alonso. “Eu tinha nove anos quando houve o boom de Fernando Alonso na Espanha, então comecei a assistir à Fórmula 1. E via Fernando vencendo e pensava que queria o mesmo para mim: ser campeão um dia”, conta o piloto, filho do multi-campeão dos ralis, Carlos Sainz.

Leia também:  Cuiabá apresenta elenco visando temporada 2018

 Referência

Mesmo coma chegada de uma nova geração que sequer viu Senna correr, o brasileiro segue sendo uma grande referência no grid, especialmente entre os pilotos que já passaram dos 30 anos e que lembram do tricampeão em ação. Fernando Alonso, Jenson Button, Kimi Raikkonen e Felipe Massa estão entre os que citam o piloto com mais frequência.

Mas quem demonstra mais identificação com Senna é Lewis Hamilton, que está perto de igualar o número de vitórias do tricampeão. O inglês tem 36 vitórias na carreira, cinco a menos que o brasileiro e revelou recentemente que “sempre quis ser o Super-Homem ou o Ayrton Senna”, que morreu quando ele tinha nove anos.

Leia também:  1ª Paraolimpíada deve contar com 139 alunos em Rondonópolis

Mas há um rival que está bem mais perto de igualar a marca de Senna: Sebastian Vettel tem apenas uma vitória a menos que o brasileiro. Mesmo que reconhece que seu grande ídolo foi Michael Schumacher, o alemão de 27 anos que chegar nas 41 conquistas do brasileiro “certamente significaria muito para qualquer piloto.”

A próxima chance de Vettel igualar Senna ou de Hamilton se aproximar do número de vitórias do ídolo será dia 10 de maio, no GP da Espanha. O inglês é atualmente o líder do campeonato, com 27 pontos de vantagem sobre o companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, e 28 para Vettel, da Ferrari.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.