O Ginásio do Maracanãzinho é palco de eventos de MMA desde a década de 50. O local, porém, não comporta o sonho de Vitor Belfort, nascido e criado no Rio de Janeiro. Acostumado a acompanhar eventos em arenas bem maiores, o “Fenômeno” almeja atuar em uma edição do UFC no Maracanã – afinal, realizar um evento em um estádio de futebol no Brasil é desejo antigo do Ultimate.

Em entrevista exclusiva ao Combate.com, Vitor reforçou a vontade que tem de lutar no Maraca e, quem sabe, defender o cinturão do peso-médio, que pertence a Chris Weidman, campeão da divisão, a quem enfrenta no próximo dia 23, no UFC 187, em Las Vegas, Estados Unidos.

Leia também:  Após derrota, Luve tem desafio contra o Oeste

– Tenho vontade de lutar no Maracanã, com certeza. Quem não tem? Com o Maraca lotado… Ainda mais se pegar um pouco do percentual da bilheteria, Seria melhor ainda (risos). Teria vontade de defender o cinturão lá. O percentual da bilheteria não vai para o Flamengo? Então, esse raciocínio tem que servir para a gente também (risos).

Por falar em cifras, Vitor Belfort não demonstra insatisfação com a bolsa que recebe quando luta no Ultimate, como já fizeram outros atletas, como Renan Barão. Contudo, o atleta da Blackzilians utiliza uma frase dita ao filho, Davi, para resumir seu salário.

– O mais é sempre bom. Um dia meu filho me perguntou: “Papai, quanto você ganha?”. Eu pensei e falei: “Filho, eu ganho mais do que preciso e menos do que mereço”. É dessa maneira que vejo. Mais do que preciso e bem menos do que mereço. Eu creio nisso, é a visão que tenho do meu valor. É a vida. Independentemente de concordar ou não, o importante é honrar e trabalhar com o mesmo afinco que se ganhasse mais. Eu falo para o meu filho: “Se você trabalha, dá o seu melhor, uma hora alguém vai ver”. É assim que eu penso.

Leia também:  União aposta em Ricardo para bater o Cuiabá

Vitor Belfort pode entrar para a história ao ser campeão da companhia pela terceira vez. O “Fenômeno”, que nocauteou Michael Bisping, Luke Rockhold e Dan Henderson em suas últimas lutas, tenta destronar Weidman – invicto no MMA – na edição 187.

UFC 187
23 de maio, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Anthony Johnson
Peso-médio: Chris Weidman x Vitor Belfort
Peso-leve: Donald Cerrone x John Makdessi
Peso-pesado: Travis Browne x Andrei Arlovski
Peso-mosca: Joseph Benavidez x John Moraga
CARD PRELIMINAR
Peso-mosca: John Dodson x Zach Makovsky
Peso-meio-médio: Josh Burkman x Dong Hyun Kim
Peso-médio: Uriah Hall x Rafael Sapo
Peso-palha: Rose Namajunas x Nina Ansaroff
Peso-meio-médio: Mike Pyle x Colby Covington
Peso-leve: Leo Kuntz x Islam Makhachev
Peso-mosca: Josh Sampo x Justin Scoggins

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.