O volume de vendas no Dia das Mães deve ter o pior desempenho em 11 anos. É o que prevê uma pesquisa desenvolvida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A entidade estima um aumento de apenas 0,5% em relação ao Dia das Mães do ano passado, com um movimento financeiro de aproximadamente R$ 6,5 bilhões.

Os dados preveem que os segmentos de farmácias e perfumarias e de artigos de uso pessoal e doméstico serão responsáveis por cerca de 25% da movimentação financeira da data. As vendas de produtos em farmácias e perfumarias serão os que devem registrar a maior alta de venda, 7,8% em relação ao ano passado.

Leia também:  Crescimento da arrecadação faz déficit primário cair 52,7% em agosto

Já os segmentos de vestuário, de hiper e supermercados, e de móveis e eletrodomésticos, responsáveis por 71% da movimentação esperada no período, deverão registrar retrações. A maior queda será na venda de móveis e eletrodomésticos, com recuo de 2,8%.

Outro ponto analisado pela Confederação, é em relação as contratações de trabalhadores temporários que deverá ser menor do que em 2014, registrando queda de 0,5.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.