O diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso (SINTECT/MT), Everaldo Nunes de Souza afirmou em entrevista ao AGORA MT, que o efetivo de carteiros em Rondonópolis tem um déficit de 10 profissionais. Além disso, o diretor explanou sua preocupação quanto o projeto de lei que tramita em Brasília sobre a terceirização. A proposta prevê a contratação de serviços terceirizados para qualquer atividade.

“Se aprovado, nossa categoria perde muito. É uma brecha a mais para o Correios fazer processo seletivo e não mais concurso. Isso atrapalha ainda mais o desenvolvimento do trabalho desenvolvido”, acrescentou Everaldo.

A distribuição de encomendas em Rondonópolis é separada através de distritos. Hoje o município possui 41 (como se fosse micro regiões) e mais 10 distritos de localidades no em torno da cidade.

Leia também:  Pacientes devem atualizar cadastro para cirurgia de catarata e pterígio até quinta

“Em média chega ao CDD Rondonópolis (Centro de Distribuição Domiciliária) mais de 40 mil encomendas dia. Para atender essa demanda, temos menos de 50 carteiros que entregam em média 700 objetos dia”, diz.

Everaldo acrescenta que mesmo com a greve dos caminhoneiros, a categoria tem esforçado e deixado a entrega regular.

“Precisamos da comunidade do nosso lado para ajudar a cobrar. Os trabalhadores tem feito o possível para deixar as entregas em dias, mas a demanda supera o efetivo existente”, pontua o diretor.

Quanto o retorno de encomendas por ausência do morador, Everaldo afirma que cada carteiro tem no máximo três minutos para fazer a entrega da encomenda.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.