Com protocolo na mão, profissionais querem certificado de término de curso - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Com protocolo na mão, profissionais querem certificado de término de curso – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Profissionais administrativos de diversas instituições de Rondonópolis, protestaram na tarde de hoje (08), no pátio da Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), pedindo a entrega do histórico ou certificados de conclusão do curso que, segundo eles, sem essa documentação não podem elevar 40% do salário.

Saulo Conceição Garcia, explica que a entrega desse documento está atrasada, já que o curso terminou em fevereiro deste ano e o prazo dado pelo IFMT expirou no mês passado.

Saulo Conceição fala sobre impasse - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Saulo Conceição fala sobre impasse – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

“Foi um direito que conquistamos depois do concurso, onde a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) fez a proposta de aumentar o salário se em contrapartida fizéssemos um curso profissionalizante. Ainda assim esperamos quase quatro anos para começar o curso e mais dois anos de duração. Agora que finalizamos não podemos contar com o benefício”, argumenta.

Leia também:  Prefeitura atende reivindicação de iluminação pública da comunidade Bajara

Este impasse entre o aluno e a instituição só ocorre aqui. Nos demais municípios, o documento já foi liberado. No total 700 alunos esperam pelo certificado em Rondonópolis.

“Estamos sendo enrolados. Em Cuiabá nos informam que está tudo pronto que é só imprimir e assinar, já aqui [no IFMT local] eles falam que falta mão de obra. Tiveram dois anos para preparar isso”, reforçou a técnica administrativa Selma Pereira Sousa.

O grupo deve se reunir ainda esta tarde com a pró-reitoria local para ver se consegue uma posição quanto ao prazo de entrega dos certificados.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.