Secretário Marco Aurélio - Foto: Messias Filho / AGORA MT
Secretário Marco Aurélio – Foto: Messias Filho / AGORA MT

“O Hospital Regional de Rondonópolis não vai parar” anunciou o secretário estadual de Saúde, Marco Bertúlio durante uma reunião, na manhã deste sábado (02) em Rondonópolis. Caso o estado e a Sociedade Beneficente São Camilo, Organizações Sociais de Saúde (OSS) que administra o Hospital Regional, não entrarem em acordo, o estado irá garantir os recursos para manter a unidade.

O contrato que supostamente venceria no dia 30 de abril com alguns funcionários do Hospital, não existe, conforme declarou o secretário. “Na verdade não existe contrato vencendo dia 30, nós temos um documento contratual até 2016” esclarece Marco.

A diretoria do São Camilo exigiu do Estado elevação do valor do contrato mensal e com a implantação de uma UTI, a demanda também exigiria mais profissionais. O hospital tem 118 leitos e registra uma média de 540 cirurgias por mês.

Leia também:  Sebastião Rezende entrega minuta de decreto para ajudar comunidades terapêuticas

Conforme o secretário, o estado e a OSS estão tentando entrar em acordo. “Vamos aguardar a resposta da São Camilo até a próxima semana, caso não haja acordo vamos fazer uma rescisão contratual” pontua.

O secretário acredita que as normas de contratações das OSS no governo anterior não teriam sido bem estabelecidas, como valores pagos e tipo de serviços prestados, o que teria provocado problemas na administração.

Secretária de Saúde de Rondonópolis Marildes Ferreira - FOTO: Messias Filho / AGORA MT
Secretária de Saúde de Rondonópolis Marildes Ferreira – FOTO: Messias Filho / AGORA MT

De acordo com a secretária Municipal de Saúde, Marildes Ferreira, uma superlotação ocorreria na cidade, caso o Hospital parasse. “Muitos pacientes que chegam no Pronto Atendimento, muitas vezes necessitam de serem encaminhados ao Hospital Regional.  Se o Hospital parasse não teríamos onde levar esses pacientes” conclui a secretária.

Leia também:  Sem energia, moradores do Dom Bosco protestam em frente a Energisa

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.