A equipe masculina do 4x100m confirmou sua vaga nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Na noite deste sábado, Bruno de Barros, Vitor Hugo dos Santos, Aldemir da Silva e Jorge Vides chegaram à final do Mundial de Revezamento de Nassau, nas Bahamas, e terminaram na quarta colocação, com o tempo de 38s63. A medalha de ouro ficou com os EUA (37s38), que desbancaram a Jamaica de Usain Bolt (37s68). O terceiro lugar foi dos japoneses (38s20), que completaram o pódio.

– Fizemos uma boa prova, com boas passagens. Conseguimos nos concentrar e controlar a ansiedade, mas a medalha infelizmente não veio – comentou Bruno, que participou do grupo no ano passado, também quarto colocado.

Mais cedo, o Brasil terminou as eliminatórias na segunda colocação (38s64), o que o levou à final e praticamente sacramentou a vaga em 2016. No entanto, para ratificar a participação olímpica, o time verde e amarelo ainda precisava completar a final. O que aconteceu mais tarde com a quarta colocação. O revezamento brasileiro 4x400m, formado por Pedro Burmann, Wagner Cardoso, Hederson Estefani e Hugo de Sousa, está na mesma situação, mas disputa a final apenas neste domingo, também muito perto de confirmar sua vaga nos Jogos do Rio. A vaga para a prova decisiva veio após o segundo lugar conquistado na primeira série com o tempo de 3m02s23, melhor marca da equipe este ano e terceira melhor entre todas as equipes que competiram a semifinal. Apesar de saber que seria uma prova difícil e que o principal adversário seria a Bahamas, Wagner afirmou que a equipe correu perto deles o tempo todo.

Leia também:  Cuiabana sobe pódio do xadrez no nacional dos 'Jogos Escolares'

– Nossos objetivos principais foram superados, primeiro ir à final, e depois melhorar nosso resultado do ano. Este grupo está muito concentrado e unido. Podemos fazer uma prova ainda melhor na final e conquistar a vaga – disse Hugo.

EUA x Jamaica

O duelo particular foi pelo primeiro lugar. A Jamaica, que tem vencido quase todas as provas do 4x100m nos últimos anos, apostava no homem mais rápido do mundo para fechar o revezamento: Usain Bolt. Antes dele, porém, correram Nesta Carter, Kemar Bailey-Cole e Nickel Ashmeade. Já os americanos também tinham um quarteto de peso ao lado. Justin Gatlin, Tyson Gay, Ryan Bailey e Mike Rodgers. E dessa vez não deu para os jamaicanos. Na última passada, Bailey recebeu bem à frente de Bolt e correu para ficar com a vitória nas Bahamas.

Leia também:  Luve vence em casa e fica fora do Z-4

Confira o resultado final
1º EUA (37s38)
2º Jamaica (37s68)
3º Japão (38s20)
4º Brasil (38s63)
5º França (38s81)
6º São Cristóvão e Neves (38s85)
7º Trinidad & Tobago (38s92)
8º Alemanha (39s40)

Provas no feminino

A equipe feminina do revezamento do revezamento 4×100, formada Joelma Sousa, Jailma Lima, Liliane Fernandes e Geisa Coutinho, ficou na terceira posição na série 2, com o tempo de 3m29s38, melhor resultado na temporada, e está classificada para a final. Segundo Liliane, o sentimento é de dever cumprido.

– Treinamos muito nos últimos 30 dias nos Estados Unidos e a vaga na final vale todo o esforço. Agradeço muito à CBAt e ao COB pela oportunidade de ter participado de todo o processo de preparação para o Mundial. Na final, vamos dar nosso melhor mais um vez – lembrou Geisa.

Leia também:  Corinthians vence o Fluminense de virada e se torna campeão brasileiro pela sétima vez

O revezamento feminino 4×100 estreia neste domingo na série 3, que tem ainda Japão, Suíça, Grã-Bretanha, Austrália, França, Cazaquistão e Equador. A equipe brasileira é formada por Vanusa Santos, Ana Cláudia Lemos, Franciela Krasucki e Rosângela Santos. Caso se classifique para a final, a prova também será realizada no mesmo dia.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.