Os professores e trabalhadores na educação do Paraná decidiram hoje (5), por unanimidade, manter a greve iniciada no dia 25 de abril em todo o estado. Pela manhã, a categoria protestou contra a violência policial na manifestação ocorrida na última quarta-feira (29), quando ficaram feridas mais de 200 pessoas, segundo a prefeitura de Curitiba.

Sob os gritos de “a greve continua” a categoria – que representa 70% do funcionalismo público do estado – optou pela continuidade do movimento, especialmente contra o projeto de lei que alterou o regime previdenciário dos servidores públicos estaduais. Cerca de 10 mil educadores de todo o estado, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública, participaram da assembleia de hoje, no início da tarde, no Estádio Durival Britto e Silva (Vila Capanema).

Leia também:  Esposa de vice-prefeito é encontrada morta dentro de casa em GO

Eles também decidiram pedir a anulação da sessão da Assembleia Legislativa que aprovou o projeto de lei que modifica o sistema de Previdência Social dos servidores estaduais. Na próxima semana, os professores prometem nova reunião entre o comando de greve e representantes do governo do estado para tratar da pauta de reivindicações. Depois do encontro, eles fazem outra assembleia para decidir se vão manter a paralisação.

Os professores reivindicam reajuste de 13,1% retroativo à data-base, a realização de concurso público e melhores condições de trabalho.

O Paraná Previdência é formado pelos fundos Militar, Financeiro e Previdenciário. O governo paranaense quer tirar 33 mil aposentados com mais de 73 anos do Fundo Financeiro, sustentado pelo Tesouro estadual e que está deficitário, e transferi-los para o Fundo de Previdência estadual, pago pelos servidores e pelo governo, que está superavitário. Os professores são contra o projeto porque dizem que vai prejudicar a aposentadoria dos servidores para “salvar as contas do governo”.

Leia também:  Elevador de hotel luxuoso no RJ despenca e deixa turistas feridos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.