A décima colocação no primeiro treino livre do GP da Espanha, nesta quinta-feira, no Circuito de Barcelona-Catalunha, não deixou Felipe Massa, da Williams, preocupado. A maioria das equipes andou pela primeira vez, hoje, com importantes mudanças nos carros, concebidas a partir dos ensinamentos nas quatro etapas iniciais do campeonato.

“Foi uma sexta-feira como tantas outras”, disse Massa. Os mais velozes foram Lewis Hamilton, da Mercedes, 1min26s852, seguido por Sebastian Vettel, Ferrari, 408 milésimos mais lento, Nico Rosberg, Mercedes, a 356 milésimos de Vettel, e Kimi Raikkonen, Ferrari, a 163 milésimos de Rosberg.

O tempo registrado por Massa sugere que a distância para os dois melhores times da temporada, Mercedes e Ferrari, pode ter aumentado: 1min28s712, ou 1s860 pior que o de Hamilton. A marca do companheiro de Massa, o finlandês Valtteri Bottas, colabora para essa impressão. Ele obteve 1min28s525, oitavo tempo, a 1 segundo e 673 milésimos de Hamiltion.

Leia também:  Brasil vence a Holanda e tem desafio mortal contra os Estados Unidos

A diferença grande teve explicação para o piloto da Williams. “Tentamos simular todas as condições possíveis, principalmente pensando na corrida.” Para entender, com maior precisão, como ficou a ordem de forças entre as escuderias, depois do emprego de tantos componentes novos, Massa falou: “Temos de esperar a classificação. Lá vamos saber como estamos em relação as outras equipes”.

O treino que definirá o grid do GP da Espanha será disputado amanhã às 9 horas, horário de Brasília. É quando todos os pilotos recorrem aos pneus mais macios e têm no tanque gasolina apenas para a volta lançada. O que não é o caso da sexta-feira, daí Massa afirmar não poder ler com precisão o resultado do primeiro dia de atividades em Barcelona. A corrida, domingo, também com largada às 9 horas, terá 66 voltas no traçado de 4.655 metros.

Leia também:  Richard Gama vence três e cai nas semifinais para líder

“Essa é uma pista nada fácil para os pneus. O consumo é elevado. Tentamos, hoje, acertar o carro para desgastá-lo o menos possível”, disse Massa. A Pirelli distribuiu em Barcelona os seus pneus mais resistentes, os médios e os duros. A temperatura está elevada. Durante a sessão da tarde, nesta sexta-feira, ficou na casa dos 29 graus e o asfalto, a 49 graus, com umidade baixa, 25%.

A expressão de Massa dá a entender não ter gostado muito do resultado da sua simulação de corrida. “Usamos os dois tipos de pneus. Preferi ficar mais com os médios, mas é preciso ver como a pista estará amanhã e, principalmente, domingo. Hoje é sexta-feira e temos muito o que melhorar no carro para a classificação, a corrida e poder brigar lá na frente.”

Leia também:  Luverdense deixa a zona de rebaixamento

Pat Symonds, diretor técnico da Williams, coordenou o estudo dos novos componentes introduzidos no modelo F37. Massa os discriminou sem muito entusiasmo: “Testamos tudo o que trouxemos e deve permanecer no carro (no restante do fim de semana). Lógico, temos de trabalhar para trazer mais, não trouxemos tanto como outros times. Temos mudanças na carroçaria, na asinha de baixo, na frente (defletor), tomada de ar dos freios, basicamente é isso”.

Os pilotos voltam à pista no sábado, às 6h para o 3º treino livre no Circuito Internacional de Barcelona-Catalunya. A atividade será exibida pelo SporTV. No domingo, a TV Globo transmite ao vivo o GP da Espanha, a partir das 9h (de Brasília). O GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.