A vida da Renovação Fight Team (RFT) no Ultimate não tem sido fácil. Até o momento, nas cinco vezes que um atleta da equipe do Rio de Janeiro pisou no octógono, foram cinco derrotas. O primeiro foi José Maria Sem Chance, que atualmente é da Team Nogueira, mas fez suas duas lutas na organização sob a bandeira da RFT. Na primeira, foi nocauteado por John Lineker no segundo round. Depois, novo revés por nocaute técnico, contra Dustin Ortiz, no terceiro assalto. O segundo foi Luiz Besouro, que participou do TUF Brasil 2 e estreou no UFC sendo derrotado por desqualificação contra Kiichi Kunimoto, em janeiro de 2014, após aplicar cotoveladas ilegais no japonês. O último foi Jorge Blade, que debutou em novembro de 2014 perdendo por decisão unânime para Dhiego Lima. Em março deste ano, teve nova chance no Ultimate, mas foi finalizado por Christos Giagos no primeiro round. Para piorar, foi pego no exame antidoping por uso do esteroide anabolizante estanozolol.

Leia também:  Atletas de Rondonópolis se destacam em competição nacional

Besouro será o próximo do trio a atuar no UFC. Sem lutar há quase um ano e meio, ele enfrentará Tom Breese no “UFC: Condit x Alves”, dia 30 de maio, em Goiânia. Líder da RFT, Márcio Cromado admite que o jejum de vitórias na organização incomoda, mas mostra confiança de que ele será quebrado no fim do mês.

– Isso é do lutador. Aquela coisa de bater na trave sempre é complicado. Estamos trabalhando da melhor forma possível. Com ajuda psicológica, com a equipe toda. Isso é uma questão de tempo. O cara mais experiente que temos é o Besouro. Ele vai pegar uma luta dura, mas acho que dessa vez vai dar tudo certo – afirmou Cromado, em entrevista ao Combate.com, acrescentando que já passou por outras situações semelhantes.

– Acho que o atleta não tem que se cobrar e colocar isso na cabeça. Achar que tem que ser o primeiro a ganhar. Eu tive essa pressão quando o Betão (Nogueira) foi para os EUA, quando eu fui para o Japão, e isso acaba atrapalhando. Se o cara tiver com a mente boa, preparado para aquilo, a coisa vem da melhor maneira possível, que é com vitória.

Leia também:  Jogador revelado pelo REC marca contra o Flamengo

Cromado reconheceu que o ritmo de luta pode ser um empecilho para Besouro, que conviveu com seguidas lesões. Porém, garantiu que será notória a evolução de seu pupilo, que buscou treinar em outros locais também para acrescentar novas armas em seu jogo.

– O ritmo de luta pode até atrapalhar. Mas o Besouro, um ou dois meses depois de operar, já estava na academia batendo manópla. Hoje em dia, ele não treina só na RFT. Ele treina com o Pedro Rizzo, treina na Nobre Arte. O cara que vai treinar lá no Rizzo, onde estão o Jacaré, Yan Cabral, a galera toda da Nova União, tem muitas informações boas. Só vai agregar mais coisas para ele. Vejo o retorno do Besouro como um pai que vê um filho se recuperar de todos os problemas que teve. Ele andou um bom tempo lesionado, até antes da luta em Singapura. Agora ele está focado e treinado. Está se cuidando com um terapeuta do lado, o joelho dele está 100%. Tenho certeza que as pessoas vão ver um Besouro novo, repaginado – prometeu.

Leia também:  Avengers e Ki-Modelo disputam final de basquete nesta sexta

UFC: Condit x Alves
30 de maio, em Goiânia (GO)
CARD PRINCIPAL
Peso-meio-médio: Carlos Condit x Thiago “Pitbull” Alves
Peso-pena: Charles do Bronx x Nik Lentz
Peso-leve: Francisco Massaranduba x Norman Parke
Peso-meio-pesado: Francimar Bodão x Ryan Jimmo
Peso-leve: Yan Cabral x KJ Noons
Peso-palha: Juliana Lima x adversária indefinida
CARD PRELIMINAR
Peso-pena: Rony Jason x Damon Jackson
Peso-meio-médio: Wendell Negão x TJ Waldburger
Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Nicolas Dalby
Peso-mosca: Jussier Formiga x Wilson Reis
Peso-meio-médio: Luiz Besouro x Tom Breese
Peso-leve: Mirsad Bektic x Lucas Mineiro

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.