O Vaticano anunciou nesta quinta-feira que distribuiu ajudas de 1,5 milhão de euros em 2014, 25% a mais que no ano anterior, a refugiados, presos, estudantes estrangeiros, doentes, idosos e desabrigados.
O valor da ajuda a cada um costuma ser pequeno, já que o Vaticano quer que alcance o maior número de pessoas possível, explicou o monsenhor Diego Giovanni Ravelli, funcionário da Esmolaria Apostólica dirigida pelo polonês Konrad Krajewski.

Desde a eleição do Papa Francisco, se multiplicaram as iniciativas originais tanto na arrecadação – o pontífice colocou à venda presentes dados a ele por chefes de Estado – como na divisão das ajudas.
Krajewski providenciou, por exemplo, a instalação de chuveiros gratuitos e de um cabeleireiro à sombra da colunata de Bernini, na praça de São Pedro, e distribuiu centenas de guarda-chuvas e sacos de dormir a pessoas desabrigadas.

Leia também:  Americanos estarão proibidos de viajar para Coréia do Norte a partir de agosto

Além disso, o Vaticano convidou há pouco tempo 150 pessoas sem teto à Capela Sistina, onde viram o papa Francisco.

O Vaticano organizará em 14 de maio, dia da Ascensão, um show beneficente na grande sala de Paulo VI.

A festa da Assunção celebra no dia 15 de agosto na religião católica a ascensão ao céu da Virgem Maria, a mãe de Jesus.

“Os ilustres hóspedes que ocuparão os lugares de honra nas primeiras fileiras, reservados habitualmente às personalidades, serão pobres de Roma” convidados por diversas organizações beneficentes, anunciou o monsenhor Ravelli.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.