A reação é a mesma em todas as corridas disputadas nesse primeiro semestre de 2015. Mesmo vencendo, Usain Bolt não tem deixado as pistas satisfeito com suas performances. Neste fim de semana, o cenário não foi diferente na vitória nos 200m da Diamond League de Nova York. O tempo, de 20s29 (com o vento contra de 2.8 m/s atrapalhando ainda mais ), voltou a incomodar e deixar o astro sem o tradicional sorriso no rosto. A pouco mais de um ano para os Jogos Olímpicos, ele não sabe ao certo explicar o porquê das boas marcas não voltarem.

– Não estou totalmente feliz com isso. Não sei exatamente o que está acontecendo. Mas não estou preocupado com o Rio. Estou preocupado com o que aconteceu e eu tenho quer descobrir o que está acontecendo na temporada. Eu preciso trabalhar duro para fazer tudo certo – disse Usain Bolt, ainda em Nova York, palco onde bateu seu primeiro recorde mundial, há sete anos.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF

Os recordes mundiais de Bolt foram alcançados em 2009, ambos no Mundial de Atletismo de Berlim: 19s19 nos 200m, e 9s58 nos 100m. A expectativa é de que ele volte a correr em duas semanas, no Campeonato Jamaicano. A principal competição da temporada será o Mundial de Atletismo de Pequim, na China, em agosto.
Os resultados não eram exatamente o que Bolt e sua comissão técnica esperavam. No começo da temporada, o velocista repetiu algumas vezes que voltava recuperado das lesões de 2014 e em boa forma física. No entanto, é importante ressaltar que ele não fez tantas corridas assim: foram três nos 200m e apenas uma nos 100m.

A melhor marca nos 200m está bem atrás do líder do ranking da temporada. O americano Justin Gatlin lidera a lista com 19s68, em uma corrida disputada em maio. A melhor de Bolt no ano é 20s13, alcançado em Ostrava, no mesmo mês – a nona melhor de 2015. Além de Nova York, a outra corrida que fez nos 200m foi em Kingston, cruzando a linha de chegada em 20s20. Antes, havia ficado 20 meses sem disputar a corrida na distância.

Leia também:  Luve vence em casa e fica fora do Z-4

Nos 100m, o fato de ter disputado apenas uma prova em 2015 também pesa. A única marca é o 10s12 da disputa no Rio de Janeiro em abril – 48º do ranking da temporada. Justin Gatlin também lidera o ranking da distância, com a boa marca de 9s74. Asafa Powel (9s84) e Tyson Gay (9s88) também estão no topo.
Após as finais olímpicas em Londres 2012, quando manteve o título nas duas provas, Bolt sofreu oscilações em seus tempos. Nos 100m, correu mais vezes e conseguiu mais marcas abaixo dos 10s. Nos 200m, ficou mais afastado por conta da lesão que o retirou de quase toda a temporada de 2014.

Leia também:  Brasil e Costa Rica fazem amistosos em Campo Verde e Cuiabá

A fase atípica em 2015 também se estendeu para as participações em revezamentos. No Mundial das Bahamas, no começo de maio, o time jamaicano do 4x100m perdeu a soberania dos últimos anos e foi derrotado pelos Estados Unidos de Justin Gatlin e Tyson Gay. Os americanos não superavam a Jamaica nessa disputa desde 2007.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.