Situação precária da MT-100 - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Situação precária da MT-100 – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

As péssimas condições da MT-100, principal estrada que liga Alto Taquari a outras cidades do Estado, reflete diretamente na economia taquariense. De acordo com a Associação Comercial e Empresarial de Alto Taquari (Aceata), o comércio acumula uma queda de 20% por causa dos buracos na rodovia. Por isso, a classe empresarial pretende se reunir para bloquear a rodovia.

Erocy Scaini, presidente da Associação - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Eroci Scaini, presidente da Associação – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

O presidente da Aceata, Eroci Scaini (foto ao lado), explica que muitos revendedores de produtos no município, diminuíram suas rotas, uma vez que além do desgaste mecânico dos veículos devido aos buracos, também existe um desgaste físico.

A viagem que antes demorava menos de 1h, atualmente, se gasta mais de 2h para completar o mesmo percurso de 68,4 quilômetros que liga Alto Araguaia a Alto Taquari.

Leia também:  Veja como preparar um arroz gratinado

“As vendas também caíram bastante. Esta rodovia é bastante movimentada, já que é o caminho mais perto para São Paulo. Agora, os viajantes preferem seguir por outra estrada e com isso a rede hoteleira e restaurantes locais, também acumulam um recuo de vendas. Isto é, se vende menos se compra menos”, argumenta Eroci.

O presidente relembrou que construída a 17 anos, a MT-100 foi projetada para pouco fluxo. Segundo dados fornecidos pela Aceata, diariamente se passa 5 mil veículos, que reflete algo em torno de 10 mil eixos.

Para conter o problema, que é anual, os empresários regionais se reuniram em 2014 para arrumar parte da estrada, o que não deve ser feito esse ano, já que a Associação pretende tomar uma medida mais radical. “Se nada for feito vamos ter que fechar a rodovia, assim alguém vai nos ouvir”, afirmou Eroci.

Leia também:  Morre idoso que foi levado em maca pela rua até a UPA

A comunidade tenta articular uma solução junto ao Governo do Estado.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.