ilustração - Cobogós2Provavelmente você deve se lembrar daqueles elementos vazados, feitos de cimento e cerâmica, que eram muito usados nas antigas construções. Eles existem desde a década de 1920, quando os engenheiros Amadeu Coimbra, Ernest Boeckmann e Antônio de Góis criaram e patentearam como Cobogó. O nome nada mais é do que a junção dos sobrenomes dos três criadores.

Antes era apenas um recurso para a ventilação de ambientes, hoje os cobogós ganharam uma nova funcionalidade e caíram no gosto dos arquitetos, engenheiros e público em geral. Atualmente estão sendo usados como objetos de decoração, ganharam texturas, novos formatos e possibilidades de uso.

Segundo a proprietária das lojas Arquiteto Home, Gabriela Piccini, a versatilidade da aplicação desse material em um ambiente é uma de suas características, ele pode estar em uma fachada inteira ou um pequeno vão na parede.

Leia também:  Mais de 300 idosos do projeto de hidroginástica terão dia de lazer no cinema

ilustração - Cobogós

“Há alguns anos os cobogós voltaram com força total à cena arquitetônica, ganharam uma releitura, resgatando o passado com contemporaneidade. Com ares de retrô-chic, as tramas vazadas passaram a ser usadas em todos os ambientes, tanto internos como externos. Com brilho ou acetinado, a variedade de cores é o que confere charme a esses elementos”, ressalta.

Além de suas inúmeras funções, o cobogó traz consigo certa poética ao projeto de arquitetura. Os itens vazados desenham sua sombra nos pisos e paredes, um efeito que transforma todo o ambiente para quem o vê.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.