O deputado estadual Max Russi (PSB) criticou a decisão do secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Márcio Dorileo, sobre o fechamento da Cadeia Pública de Juscimeira. A unidade prisional foi fechada nesta quarta-feira (24/06) e os 21 reeducandos que cumpriam pena foram transferidos para a Penitenciária Major Eldo de Sá Correia “Mata Grande”, em Rondonópolis.

Na Tribuna, o parlamentar não hesitou em questionar a forma como a decisão foi tomada e o desrespeito com a Assembleia Legislativa. “Quando se cogitou o fechamento da unidade em fevereiro desse ano, eu, enquanto representante deste parlamento, juntamente com representantes da comunidade, da Ordem dos Advogados do Brasil, do Poder Judiciário daquele Município e outras autoridades locais, nos reunimos com o secretário e ele se comprometeu que o fechamento se daria após a construção de um Centro de Detenção Provisória para atender aquela região”, enfatizou Max.

Leia também:  Demolição provoca guerra de vídeos nas redes sociais entre suplente e vereador

“Agora, sem mais nem menos, sem sequer avisar o meu gabinete ou a população, age na calada da noite, deixando o município inclusive a mercê da falta de segurança, já que no caso de alguma prisão, os dois únicos policiais que atendem Juscimeira vão ter que se deslocar para levar o cidadão até Rondonópolis”, acrescentou o deputado.

Ele disse ainda que durante o dia recebeu dezenas de ligações de moradores, autoridades e lideranças, questionando o ocorrido. “Eles não entendem como um secretário não tem qualquer consideração com um deputado que apoia e ajuda na construção do atual Governo, que vota todos os projetos apresentados pelo líder, deputado Wilson Santos, tudo por acreditar no governador Pedro Taques. O Município não tinha representante na Assembleia, e agora que tem, passa por esse descaso, por esse desserviço. Isso é uma demonstração que o secretário não está olhando para os Municípios pequenos”.

Leia também:  Do suor negro da fuligem ao suor da alegria

Max Russi ainda destacou que a decisão foi arbitrária, inclusive no que fere aos preceitos legais, já que a juíza titular da Comarca e execução da cadeia, Luciana de Souza Cavar Moretti, também não foi avisada do fechamento e da transferência dos presos. “Para fazer qualquer remoção ou transferência de presos de uma unidade para outra é necessária uma autorização judiciária e o secretário nem ao menos notificou a doutora Luciana”, esclareceu Max.

Apoio – Max Russi esclareceu, ainda na Tribuna, que a crítica não atinge os demais secretários, já que a grande maioria tem se sensibilizado e trabalhado em prol dos Municípios. “Tenho muito que elogiar, por exemplo, os secretários de Saúde, Marco Bertúlio, de Trabalho e Assistência Social, Valdinei, de Agricultura Familiar, Suelme Evangelista, e de Educação, Permínio, pelo excelente trabalho que vêm fazendo junto às comunidades, indo até os municípios, conhecendo a realidade de cada população, se aproximando dos problemas e trazendo as discussões para deliberarmos juntos sobre as providencias”, finalizou.

Leia também:  Taques trabalha aproximação a Jayme
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.