O texto aprovado anteontem (10), em 1ª votação na Câmara dos Deputados, que regulamenta o mandato de cinco anos para todos os cargos políticos, bem como a reforma política, é visto com opiniões diferentes entre os Senadores da República de Mato Grosso

Para o jovial senador, José Medeiros (PPS), a redução do mandato, de oito para cinco anos, é importante para garantir mais renovação e o interesse popular, contudo ele considera bagunçado, a maneira que está sendo feita a reforma política. Medeiros defende, por exemplo, manter todas as eleições juntas, afim de evitar gastos de dois em dois anos, entretanto, com uma votação apertada, essa proposta não passou ontem na Câmara.

Já Blairo Maggi (PR), acredita que teria pouca importância se o resultado do mandato fosse positivo. Ele se diz contrário à reeleição por causa das regras atuais que obrigam o gestor no exercício do mandato, a fazer compromissos políticos partidários de difícil cumprimento.

Diferente dos colegas, o senador Wellington Fagundes (PR), considerou prematura a decisão da Câmara Federal e sinalizou que este tipo de decisão acaba causando desgaste para a classe política. Ele afirma que apesar discussão do tempo de mandato, deve haver diferenciação em relação aos deputados federais, ou seja, que o tempo de senador necessariamente deve ser maior.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.