Sete pessoas acusadas de compartilhar fotos nua de uma adolescente de 12 anos através de um aplicativo de celular foram indiciadas pela Polícia Judiciária Civil, em Porto Alegre do Norte. As fotos vazaram após a adolescente enviá-las a um ex-namorado, que teria compartilhado as imagens em grupos do aplicativo.

As investigações iniciaram após a mãe da vítima procurar a Polícia Civil para falar que fotos da filha sem roupa estavam sendo divulgadas através do aplicativo WhatsApp, gerando grande constrangimento a adolescente e a família. Um dos suspeitos de compartilhar as fotos citava nos grupos até o endereço da adolescente.

Segundo o delegado Marcelo Henrique Maidame, pelo menos 7 suspeitos de armazenar e compartilhar as fotos em grupos foram identificados e serão indiciados pelo crime previsto na artigo 241 – B, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que trata de “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente”, com pena de 1 a 4 anos de prisão e multa.

Leia também:  Criminosos abrem buraco na parede para furtar comércio

“Este não é o primeiro caso envolvendo foto de adolescentes em situação pornográfica divulgada através do aplicativo, na região do baixo Araguaia. Todos que continuarem a insistir e a compartilhar esse tipo de material, além da prisão em flagrante, terão seus celulares apreendidos e encaminhados para a perícia técnica”, disse.

O delegado ressaltou que as investigações ainda estão em andamento e outras pessoas ainda poderão ser indiciadas pelo armazenamento e divulgação da imagem da adolescente através do aplicativo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.