Chris Weidman vem chamando Vitor Belfort de trapaceiro há algum tempo. Por conta do nível de testosterona que o brasileiro apresentou em testes antes da luta entre os dois, o americano não se convenceu de que o adversário estava mesmo sem auxílio do TRT. Para ele, no entanto, sua vitória estaria garantida de uma forma ou de outra. Tanto que se ofereceu para enfrentá-lo no Brasil.
– Quando marcaram a nossa luta, em algum momento, não lembro quando, me ofereci para enfrentá-lo no Brasil. Mesmo que ele estivesse “no suco”, não ligo. Acho que seria um combate parecido com o que fizemos – disse, em entrevista ao podcast “MMA Roasted”.

Leia também:  União perde em casa e dá adeus ao sonho da Série C

Weidman derrotou Vitor por nocaute técnico ainda no primeiro round. O “All American” aguentou a pressão inicial do fenômeno em pé, no início da luta. Quando viu a brecha, levou para o chão e finalizou o combate com uma série de socos na montada.
O campeão aproveitou para explicar o porquê da desconfiança em Belfort. Ele acredita que, por ser mais jovem, seu nível de testosterona deveria estar maior que o do adversário.

– Eu conversei com o cara que trabalha com o UFC, e ele disse que existem formas de trapacear nos testes. É a única explicação. Esse cara tinha quatro vezes mais. E isso enquanto estava treinando. Se você está em treinamento, seus índices deveriam ser baixos, como estavam os meus. Esse cara tinha quatro vezes mais. Ele ainda está tomando… Mas, de qualquer jeito, a diferença é que estou batendo nesses caras independente de qualquer coisa.

Leia também:  Atletas sub 16 de Rondonópolis participam de competição em Cuiabá
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.