montagem personalOs músculos sempre foram a obsessão de Dean Wharmby, um personal trainer de 39 anos. Em busca do corpo perfeito, o inglês apostou em uma dieta de 10 mil calorias ao dia, incluindo no cardápio hambúrgueres, pizzas, bacon e as mais variadas bebidas energéticas. No entanto, o resultado dessa rotina arriscada foi exatamente oposta ao que Deam esperava.

De musculoso e saudável, ele passou a um homem doente, em estado terminal. Deam morreu esta semana de câncer no fígado, e, pouco antes de partir, admitiu que talvez seus hábitos alimentares tenham sido responsáveis por sua doença.

Em uma página no Facebook, Dean decidiu contar sua batalha contra a doença, e atraiu mais de 10 mil seguidores. Em vídeos e mensagens, ele tentava se mostrar otimista, além de apresentar aos fãs sua opção de combater o câncer utilizando a medicina natural, junto com uma alimentação que incluía vitaminas, comidas sem açúcar e nenhuma carne.

Leia também:  Dieta: muito além do peso na balança

A mulher de Dean, Charlotte, ficou responsável por atualizar as notícias sobre o quadro de saúde do marido durante o tratamento. Segundo ela, Dean foi um lutador, que nunca desistiu.

— Enquanto outras pessoas desmoronam, ele mantinha um sorriso no rosto. Ele tinha crenças muito fortes, e sei que, agora, ele está livre do sofrimento.

trainer3O câncer foi diagnosticado em 2010, e já naquela época o personal trainer entendeu que sua dieta baseada em altas doses de proteína poderia ter uma grande relação com a doença. Na época, ele escreveu suas impressões.

— Foi porque eu estava tentando ficar o maior que pudesse. Não temos como ter certeza, mas coisas como energéticos são fatores que devem ter contribuído. A carne vermelha também. Acho que foi uma combinação de tudo.

Leia também:  Calcanhar de maracujá: o que é essa doença

Dean foi fisiculturista por 20 anos. Ele admitiu que tomou esteroides para aumentar o corpo, e justificou que fez isso “porque todo mundo fazia”. No entanto, Dean desistiu dos anabolizantes assim que entrou para os negócios como personal trainer.

Além dos grandes alimentos clássicos de quem quer ficar grande, como shakes de proteína, ovos, frangos e batata doce, Dean também consumia quantidades exorbitantes de pizzas, sanduíches e lanches gordurosos.

Os médicos ofereceram a Dean tratamentos como quimioterapia e um transplante de fígado, mas ele preferiu a medicina natural.

— Recusei logo de cara, e a maior razão para isso foi porque eu queria viver, e não morrer.

Por um ano, a escolha de Dean funcionou: seu tumor desapareceu. No entanto, ao recair na dieta de antigamente, em 2013 ele se sentiu mal novamente, e precisou ser internado. O câncer já estava grande demais para ser operado, e tudo que restava à família era esperar. No último domingo (19), a mulher do personal trainer escreveu na página do marido no Facebook que ele, finalmente, havia descansado.

Leia também:  Uma gordura que faz bem para o cérebro

— Ele agora está bem, livre de toda a doença e da dor, e viverá perfeitamente e de maneira pura, para todo o sempre

Advertisements
COMPARTILHAR
Artigo anteriorVisita ilustre
Próximo artigoPegou no pulo

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.