Promotor Marcelo diz que outras greves tiveram fim na promotoria - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Promotor Marcelo diz que outras greves tiveram fim na promotoria – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

O Ministério Público Estadual (MPE), através da Promotoria Pública de Guiratinga, irá investigar nos próximos dias, a situação caótica da saúde no município. De acordo com o promotor Marcelo Mansour o inquérito civil público foi instaurado ontem (06). A denúncia foi protocolada pelo Conselho Comunitário de Segurança Pública.

O principal alvo da investigação, é a Prefeitura Municipal de Guiratinga, que alega não ter condições de continuar fazendo o repasse ao Hospital Osvaldo Cruz.

“Abrimos um procedimento para tomar as medidas cabíveis que o assunto requer. A intenção é resolver essa situação de forma extrajudicial, mas se for necessário, tomaremos as medidas judiciais”, comentou o promotor.

Mansour ainda ressalta que as outras duas greves passadas, tiveram fim na promotoria. E que irá nos próximos dias acionar ambas as partes (Prefeitura e Hospital), para tentar entrar em um acordo.

Leia também:  Após articulação do MPE, escola sonhada há mais de 10 anos vai se concretizar
Cintia Carvalho teme fechamento - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Cintia Carvalho teme fechamento – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Enquanto isso, os guiratinguenses querem uma solução para a condição crítica da saúde. A estudante Cintia Carvalho vê a situação com preocupação. Para ela, o prefeito Hélio Goulart (DEM) tem feito pouco caso da população.

“Que condição desastrosa chegamos? O prefeito quer tirar nosso único sistema de saúde 24h”, questiona a estudante.

Luizão da saúde afirma não estar conseguindo medicamentos - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Luizão da saúde afirma não estar conseguindo medicamentos – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Conhecido na cidade e dependente do sistema de saúde, Alderson Luiz, popular Luizão da Saúde, também não quer que o PA feche. Ele é epilético, tem diabetes e pressão alta. E há 30 anos depende do serviço público.

“Também não estou conseguindo meus remédios. Sou aposentado e tenho que pedir ajuda para as pessoas para comprar. Precisamos da saúde funcionando em Guiratinga”, finalizou ele.

Leia também:  Candidatos do concurso da Seduc devem redobrar atenção para às regras da prova

VEJA TAMBÉM – Guiratinga | Impasse pode terminar com fechamento de hospital

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.